HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Reportagem do Jornal da Gazeta sobre o Nowruz no Brasil


Salam amigos! Atendendo a pedidos, compartilho aqui no blog o vídeo da reportagem que saiu no  Jornal da Gazeta sobre a celebração do Nowruz pela comunidade iraniana do Brasil. Como sabemos, a comunidade iraniana no Brasil é bem pequena se comparada com outros países como EUA, Canadá, Inglaterra, Suécia, etc., mas onde quer que esteja, essa comunidade mantém suas tradições com bastante orgulho. 



Evento: Celebração Cultural do Ano Novo Persa (Nowruz) em SP

O Ano Novo Persa, ou Nowruz, é Patrimônio Mundial da UNESCO, celebrado em mais de 15 países! Venha conhecer a beleza desta tradição aqui no Brasil! 


VOCÊ SABIA QUE VÁRIOS PAÍSES COMEMORAM O ANO NOVO EM MARÇO? 

O Nowruz ou Ano Novo Persa é comemorado em países como o Irã, Afeganistão, Azerbaijão e outros países da Ásia Central. A data marca o início da primavera no hemisfério norte e suas tradições têm raízes no zoroastrismo, religião ancestral dos persas. Seu rico simbolismo se mantém vivo e presente na atualidade, como parte da herança cultural dos países em que é comemorado e nas comunidades de imigrantes que o celebram ao redor do planeta. Comidas típicas, histórias, músicas, poesias e a montagem de uma mesa com sete objetos simbólicos como espelho, velas, peixinhos dourados, flores, ovos coloridos, entre outros que representam os desejos para o novo ano fazem parte desta comemoração.

Em parceria com o APROPRIARTE, espaço de convivência, arte, educação e cultura, o blog CHÁ-DE-LIMA DA PÉRSIA com muita alegria organiza uma série de atividades com o objetivo de apresentar a cultura do Irã para o público brasileiro. 

POR QUE VAMOS COMEMORAR O ANO NOVO PERSA EM SÃO PAULO? 

A comunidade iraniana em São Paulo não é tão expressiva quanto em outros países como Canadá, EUA e Inglaterra, mas a quantidade de brasileiros interessados na cultura persa cresce a cada dia! A escassez de informações sobre a cultura do Irã em nossos meios de comunicação, infelizmente tem deixado uma grande lacuna. Há 6 anos, por meio do blog Chá-de-Lima da Pérsia busco contribuir para tornar a cultura iraniana acessível em nosso idioma. 

Em 2013, tive a oportunidade de visitar este lindo país que é o Irã, viagem que marcou a minha vida e me fez desejar estar cada vez mais próxima do acolhedor, gentil e amistoso povo iraniano e retribuir todo carinho e amor com que me trataram em seu país! 

Escolhemos a ocasião do Nowruz (comemorada originalmente em 21 de Março) por se tratar da maior festa da cultura iraniana, considerada Patrimônio Mundial da UNESCO e celebrada também em mais 15 países da Ásia e leste europeu. 
É uma festividade rica em simbolismos que tratam do respeito à vida e à natureza, e também propõe a interação, amizade e respeito entre as pessoas. 

Convide seus amigos e familiares e junte-se a nós para a Celebração Cultural do Ano Novo Persa!


Parceria Chá-de-Lima da Pérsia & Apropriarte Cine Clube estreia com sucesso!


Na última sexta-feira (09/03), teve início a primeira atividade da parceria do Chá-de-Lima da Pérsia com o Apropriarte Cine Clube . 
O filme escolhido para inaugurar nosso ciclo de cinema iraniano foi “A Maçã”, dirigido por Samira Makhmalbaf

O público que já frequentava as edições do Cine Clube assiduamente, ficou encantado e impressionado com o filme e teve a oportunidade de compreender melhor a cultura iraniana através de uma reflexão criativa e da roda de conversa. 

Inaugurando a parceria com o Cine Clube: fui entrevistada
 pela diretora do Apropriarte, Maria Augusta Dib 

Provocando o debate: O que uma maçã significa para você? 

Antes da sessão tivemos uma reflexão proposta pela diretora do Apropriarte, Maria Augusta Dib, que convidou os participantes a escolherem de um cesto a fruta que dá título ao filme: as maçãs. Em seguida o grupo deveria falar o porquê de ter escolhido determinada maçã e o significado que esta fruta tinha para cada um. A partir daí um universo de reflexões trazidas por cada participante preparou o terreno para explorar o simbolismo da maçã no filme. 

Assistir a este filme documentário que é uma obra prima do realismo iraniano saboreando as deliciosas maçãs com certeza foi uma experiência cinestésica marcante para todos. 

Sala lotada: espectadores assistem a obra prima do cinema iraniano "A Maçã"
Para conhecer melhor a história do filme, leia o post sobre o filme: A Maçã e também, O que aconteceu com as meninas do filme "A Maçã".

Após a sessão, tivemos um bate-papo tão saboroso quanto as maçãs. Refletimos juntos sobre os objetos simbólicos do filme, abordamos questões filosóficas e compartilhamos experiências pessoais. Expliquei também como o filme foi produzido e respondi às curiosidades do público sobre o contexto cultural e o destino das personagens. 

Participação do público na roda de conversa divertida e interativa 
refletindo sobre o significado da maçã! 
Uma das propostas deste ciclo de filmes iranianos no Apropriarte Cine Clube  é trazer o Irã para mais perto do público brasileiro. O público não somente assiste ao filme, mas participa de uma experiência de imersão cultural e de uma reflexão ativa que o faz levar o filme para sua vida e ampliar seus conhecimentos. 

A parceria do Cine Clube Apropriarte com o Chá-de-Lima da Pérsia continua no mês que vem! A próxima sessão está marcada para o dia 06/04/18! Não perca! 

(Créditos das fotos: Apropriarte)


CELEBRAÇÃO CULTURAL DO NOWRUZ: Venha celebrar o Ano Novo Persa em São Paulo!





Imagens que a mídia não mostra sobre como é ser mulher no Irã

🌺 8 de Maio: Dia Internacional da Mulher 🌺
Por todo planeta vozes ecoam bradando por mais respeito aos nossos direitos ou oferecendo flores e descontos nas lojas para lembrar do quanto somos importante e queridas! E mais uma vez o Irã volta a aparecer nos noticiários: mulheres tiram o véu em protesto ao uso obrigatório do Hejab (código de vestimenta islâmico) desde 1979 e são duramente punidas com advertências e prisões. Mas por outro lado, o que a mídia não mostra, é que não é só de véus negros que vivem as iranianas. Veja algumas fotos que farão você ver com outros olhos como é ser mulher no Irã apesar da obrigação do véu:

Mulheres em teleférico na montanha Tochal em Teerã, longe da patrulha do véu

Jovens se divertem em um parque em Teerã, a moça deixa cair o véu despreocupada...

A classe média alta urbana, adota e ostenta a moda ocidental de maneira desafiadora ao regime islâmico

Esta iraniana, ostenta acessórios de luxo e o véu como um simples acessório... 
As jovens iranianas também dão um show de elgancia.

Grifes iranianas tem versões ultra fashion do hejab para as mulheres urbanas

Algumas jovens iranianas adotam e incorporam totalmente a estética ocidental 
 
No esporte, modalidades como o tiro com arco tem grande participação feminina

As iranianas competem a nível nacional e internacional em provas de velocidade

As ninjas iranianas... Nesse esporte o hejab e a vestimenta ninja se confundem

CONCLUSÃO: Como não muçulmana, tive a minha experiência com o véu somente em minha viagem ao Irã, e em alguns eventos religiosos islâmicos ao qual fui convidada aqui no Brasil. Para mim, em alguns momentos, o véu incomoda a nós que não estamos acostumadas, nos faz passar calor e requer atenção constante para não nos deixar expostas em ambiente mais conservadores; em outros momentos porém, é uma aventura fascinante por nos deixar caminhar em paz entre a multidão de iranianas sem ser notada de cara como uma turista gringa. Para algumas mulheres, o véu é visto como símbolo da opressão e ditadura machistas, por outras, ele é um instrumento de empoderamento, num mundo onde o corpo da mulher é objetificado e hiper sexualizado. O uso do véu em si é uma polêmica da qual não desejo tirar conclusões. Cabe a você, leitor/leitora, decidir o que ele simboliza para você. Por fim torço para que as mulheres iranianas tenham o seus direitos conquistados e respeitados, tanto o de usar o véu como o de não usá-lo! 

Parabéns a todas as leitoras amigas da Pérsia pelo nosso dia! E por favor, deixem seus comentários, eu adoro saber a sua opinião!