HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Como 10 filmes americanos retratam o Irã

16 de janeiro de 2016, um dia histórico para o Irã! O acordo nuclear e a retirada das sanções econômicas dos EUA sobre o Irã no último sábado, devem representar um grande alívio para o povo iraniano após mais de três décadas. Por outro lado, o cinema de Hollywood, uma indústria que lucrava milhões com o famigerado inimigo da América, terá que buscar outras alternativas. Não faltam exemplos de filmes americanos que tiveram grande audiência na TV, bateram record de bilheteria e até ganharam o Oscar mostrando uma imagem estereotipada dos iranianos. Vamos recordar alguns deles: 

1-Argo (2012) 


Ben Affleck em cena de Argo
Sinopse:
(Direção: Ben Affleck) Agindo sobre o pretexto de buscar um cenário para um filme de ficção científica de Hollywood, o agente da CIA Tony Mendez (Ben Affleck) parte em uma perigosa operação para regatar seis americanos em Teerã durante a crise dos reféns na embaixada americana no Irã em 1980. 


Quem é a estrela:
O próprio diretor do filme, o ator Ben Affleck,  protagoniza o herói da história que resgata os americanos. Ganhador do Oscar 2013, o prêmio curiosamente foi entregue diretamente da Casa Branca pela primeira-dama norte-americana Michelle Obama, no ano que o Irã decidiu boicotar o Oscar, por outros motivos já citados aqui no blog. 

Como retrata o Irã: 
O filme deixa de lado o drama histórico dos cerca de 60 funcionários reféns na embaixada americana em Teerã e se concentra apenas na fuga do grupo das 6 pessoas salvas pelo herói da CIA . Ele até consegue cumprir o objetivo de reproduzir bem as localidades e o visual dos anos 70 com uma boa fotografia, e nos fazer torcer  até o fim pela turma de americanos inocentes que tenta escapar das garras dos iranianos barbudos e "maus". O ator que faz o funcionário do consulado é o Rafi Pitts, um conhecido ator e diretor do cinema iraniano. Mas o resto é puro clichê e não acrescenta nada a longa lista de filmes estilo Bad Arab já feitos por Hollywood, retomando alguns dos mesmos arquétipos da série O Voo da Águia, feita nos anos 80. Já reproduzi em outro post um depoimento de como os iranianos receberam o filme Argo


2- O voo da Águia (1986)


Richard Crenna em uma cena de O Voo da Águia 
Sinopse:
(Direção: Andrew V. McLaglen) Mini-série  baseada no livro de Ken Follet, On Wings of Eagles. Quando um grupo de executivos de uma importante corporação do Texas são tomados como reféns durante a crise na embaixada americana em Teerã, durante a Revolução Iraniana, o magnata  Ross Perot (Richard Crenna) parte em uma operação especial com ajuda do ex-coronel do exército Arthur "Bull" Simons (Burt Lancaster)  para resgatá-los.

Quem são as estrelas:
Os célebres atores norte-americanos Burt Lancaster e Richard Crenna, interpretam os heróis da trama. No Brasil, a série foi exibida pela TV Manchete em 1991 (mas eu lembro de ter assistido a reprise em 1998.)

Como retrata o Irã: 
A abertura da série mostra o Irã pós-revolução como um cenário caótico com um mar de gente empunhando armas, queimando símbolos americanos, derrubando a estátua do xá Reza Pahlevi e brandindo punhos em saudação ao aiatolá Khomeini. E os iranianos são mostrados e assim durante todo o filme, exceto pelo personagem Rashid (Esai Morales) um jovem iraniano que trabalhava como estagiário para a corporação americana e que por fidelidade a seus patrões se torna aliado do time de resgate dos reféns e emigra para os EUA no final. 


3- Nunca sem minha filha (1991)


Sally Field em cena de Nunca sem Minha Filha
Sinopse:
(Direção: Brian Gilbert) Betty (Sally Field) é uma dona de casa americana que vive no Michigan com seu marido, um médico iraniano  chamado "Moody" (Alfred Molina) e sua filha Mahtob. Com saudade de sua terra natal, o marido convence Betty a viajar para o Irã com ele e sua filha durante as férias. Betty tem medo, mas após o marido jurar que tudo ficará bem, aceita viajar. Ao final das duas semanas de férias, Moody revela a Betty que foi despedido do seu emprego em Michigan e que decidiu permanecer no Irã, onde há falta de médicos devido à Guerra Irã-Iraque. Impedida pelo marido de sair de casa, Betty decide  escapar do Irã com sua filha. O filme é uma adaptação do livro homônimo de Betty Mahmoody e William Hoffer, baseado numa história real.

Quem é a estrela:
A atriz norte americana Sally Field,famosa por interpretar a Noviça Voadora, nos anos 60, é a protagonista. 

Como retrata o Irã:
O Irã da guerra Irã-Iraque (década de 80) é um local perigoso, especialmente para cidadãos americanos. Quando Betty chega ao Irã, quase é presa por mostrar um pouco do cabelo sob o véu. Além disso a família está descontente com a americanização de Moody. O médico americano, que antes era um marido gentil e amoroso, passa a agir de modo violento e machista após a mudança para o Irã. E os maridos iranianos são sempre os vilões, como no caso de uma outra americana, que se torna amiga de Betty, que apanha do marido e é obrigada a frequentar aulas sobre o Alcorão para se tornar uma esposa devota. 

4- O Apedrejamento de Soraya (2008)


Jim Caviezel e Shohreh Aghdashloo em cena de O Apedrejamento de Soraya
Sinopse: 
(Direção: Cyrus Nowsrateh) Adaptado do livro do jornalista francês Freidoun Sahebjan, La Femme Lapideé, baseado em uma história real. Numa remota aldeia iraniana, um jornalista (Jim Caviezel) é abordado por Zahra (Shohreh Aghdashloo), uma mulher com uma história para contar sobre sua sobrinha, Soraya (Mozhan Marnò), apedrejada até a morte por ser acusada pelo marido infiel (Navid Negahban). Sua única esperança de justiça está nas mãos do jornalista, que deve sair com a história - e sua vida - a fim de comunicar tal violência ao mundo.

Quem são as estrelas: 
O ator norte-americano Jim Caviezel, (o  Jesus de A Paixão de Cristo) interpreta o jornalista franco-iraniano Freidoun Sahebjam. A aclamada atriz iraniana Shohreh Aghdashloo, que estrelou ao lado de Ben Kingsley em Casa de Areia e Névoa, interpreta Zahra. A personagem central Soraya, é interpretada pela atriz norte-americana de origem iraniana Mozhan Marnò. 

Como retrata o Irã: 
Desde que postei uma resenha sobre este filme aqui no blog, ele é um dos mais procurados pelos leitores, apesar das cenas de violência chocante! Em um remoto e poeirento vilarejo no coração do Irã, seus habitantes parecem isolados do mundo todo, as mulheres submissas como Soraya não tem voz e os homens são facilmente manipulados por seus interesses mesquinhos. O marido de Soraya, é não somente negligente e machista, mas um bandido perigoso que ameaça matar quem não cumpre o que ele quer. A tia de Soraya, é uma mulher valente que é acusada por todos de ser uma louca por querer denunciar um crime disfarçado de justiça. O jornalista Freidoun que está só de passagem pelo vilarejo iraniano, é o estrangeiro que pode mudar alguma coisa, mostrando para o mundo as injustiças cometidas naquele país. 

5- 300 (2007)


Gerard Butler e Rodrigo Santoro em cena de 300
Sinopse: 
(Direção: Zack Snyder) Baseado na série de histórias em quadrinhos homônima de Frank Miller e Lynn Varley. Na Batalha de Termópilas (Grécia, 480 AC), o rei Leônidas (Gerard Butler) e seus 300 guerreiros de Esparta lutam até a morte contra o numeroso exército do rei Xerxes (Rodrigo Santoro).  Na História, a batalha ficou marcada por ter inspirado toda a Grécia a se unir, o que ajudou a solidificar o conceito de democracia que se conhece hoje. 

Quem são as estrelas: 
O ator escocês Gerard Butler, interpreta o rei Leônidas, o herói ocidental e o brasileiro Rodrigo Santoro interpreta o inimigo, a versão mais caricata e infame de todos os tempos do rei persa Xerxes. 

Como retrata os persas: 
Não preciso, mas vou dizer porque este é um dos filmes mais odiados pelos iranianos. Em primeiro lugar por causa da caricaturização efeminada e grotesca do  rei persa Xerxes I, e em segundo pela representação do exército persa como uma legião de demônios fantasmagóricos. O filme 300 aborda uma temática histórica de modo totalmente ficcional, porém a mensagem é clara, mostrar o ideal de superioridade do ocidente (a Grécia racional, democrática e heroica) contra o oriente (a Pérsia exótica, tirana e irracional). A Academia de Artes Iraniana repudiou oficialmente o filme, por ultrajar a identidade histórica do povo iraniano. 

6- Alexandre (2004) 


Rosario Dawson e Colin Farrell em cena de Alexandre 
Sinopse: 
(Direção: Oliver Stone) O quarto filme a retratar a vida do jovem conquistador do séc. IV a.C, mostra a saga de Alexandre, rei da Macedônia (Colin Farrell), que lidera sua  legião contra o gigante Império Persa que dominava quase todo o mundo conhecido no oriente. Após derrotar os persas (331 a.C) ele conduz seu exército para outras partes da Ásia, planejando conquistar até os confins do mundo. 

Quem é a estrela: 
O ator norte-americano Colin Farrell, (que com o cabelo tingido de loiro ficou a cara do Brad Pitt), interpreta o rei Alexandre. 

Como retrata os persas: 
Este filme até que faz um retrato menos injusto dos persas do que 300. O rei persa Darius é interpretado por um ator israelense bonitão (Raz Degani), o exército persa até que possui armaduras bem elegantes. Outros personagens persas estereotipados são a princesa Roxana (Rosario Dawson) e o eunuco Bagoas (Franscisco Bosch), respectivamente a esposa e o amante de Alexandre. E por que os iranianos odeiam este filme? Simplesmente porque foi ele, Alexandre, que após uma noite de bebedeira, mandou destruir Persépolis, a capital cerimonial do império Aquemênida, e isto não é mostrado no filme. Além disso, o roteiro confunde descaradamente Babilônia com Pérsia, além de outras imprecisões históricas. 

8- Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo (2010)


Gemma Arterton e Jake Gyllenhaal em cena de Príncipe da Pérsia: As Aréias do Tempo
Sinopse:
(Direção: Mike Newell) Baseado no  jogo de videogame Prince of Persia, em um cenário da Pérsia da Idade Média, o filme narra a saga de. Dastan (Jake Gyllenhaal) um jovem príncipe, que auxilia o irmão a conquistar uma cidade. Lá ele encontra uma estranha e bela adaga, a qual decide guardar. Tamina (Gemma Arterton), a princesa local, percebe que Dastan detém a adaga e tenta se aproximar dele para recuperá-la. A adaga possui o poder de fazer seu portador viajar no tempo, quando dentro dela há areia mágica. Só que Dastan é vítima de um golpe. Ele é o encarregado de entregar ao pai, o rei Sharaman (Ronald Pickup), uma túnica envenenada, que o mata. Perseguido como se fosse um assassino, ele precisa agora provar sua inocência e impedir que a adaga caia em mãos erradas.

Quem é a estrela: O ator norte-americano Jake Gyllenhaal, famoso por O Segredo de Brokeback Mountain, interpreta o príncipe Dastan. 

Como retrata os persas: Muitos iranianos consideram Príncipe da Pérsia um filme claramente racista. O mocinho Dastan e a mocinha Tamina, assim como toda a corte do reino do mocinho são interpretados por atores norte-americanos brancos, enquanto o restante do elenco, os servos, os músicos e  "persas maus" são de origem iraniana ou latina. Embora existam algumas referências geográficas como Alamut (norte do Irã), as cenas do deserto foram filmadas no Marrocos. E apesar das mínimas alusões históricas como à seita dos Hassassins, a caracterização dos personagens e cenários do filme passa muito longe de representar a cultura persa islamizada da Idade Média sem lugar para os braços e peitoral à mostra do príncipe Dastan. 


9- O dançarino do deserto (2014)


Reece Richards e Freida Pinto em cena de O Dançarino do Deserto
Sinopse: 
(Direção: Richard Raymond) Baseado em uma história real, o filme conta a história de Afshin Ghaffarian (Reece Ritchie) um iraniano que desafia as leis de seu país e ignora o clima constantemente tenso fazendo aquilo que mais gosta: dançar. Ele forma uma companhia clandestina com amigos próximos e ensaia em casa assistindo vídeos de Michael Jackson, Pina Bausch e Gene Kelly na internet. Como dançar em público é proibido no país, ele planeja uma performance do grupo no meio do deserto.


Quem são as estrelas:
O ator britânico Reece Ritchie que também aparece em Príncipe da Pérsia, interpreta Afshin Ghaffarian e a atriz indiana Freida Pinto, famosa por Quem quer ser um milionário? interpreta sua fiel companheira Elaheh. 

Como retrata os iranianos: 
Também já escrevi  uma resenha sobre este filme aqui no blog, um dos mais recentes em cartaz aqui no Brasil. Como outros citados, este também é um dos filmes em que atores de outras origens interpretam os papéis principais e iranianos nativos papéis secundários. O roteiro é permeado por um exacerbado viés político, que se deixa perceber do início ao final do filme, encaixando os personagens dentro das manifestações que caracterizaram o famoso Movimento Verde que realmente teve lugar no Irã em 2009, em apoio ao candidato Mir Hossein Mousavi.

10- Camp X-Ray (2014)


Peyman Moaadi e Kristen Stewart em cena de Camp X-Ray
Sinopse: 
(Direção: Peter Sattle) O filme conta a história de Amy Cole, (Kristen Stewart) uma jovem que larga sua vida pacata e sufocante de uma cidade do interior dos EUA para se alistar para o exército. Nisso ela vê uma esperança de ir para o Iraque e assim, entrar em contato com uma nova cultura. Mas essa esperança é interrompida, quando ela acaba sendo enviada para uma missão em um local completamente diferente do que ela esperava, uma prisão em Guantánamo, no sudoeste de Cuba. Lá acaba criando uma amizade improvável com Ali (Peyman Moaadi), um iraniano que está preso no local há 8 anos. 

Quem são as estrelas: 
A atriz norte-americana Kristen Stewart, famosa pela saga O Crepúsculo, interpreta a soldado Amy Cole e o ator iraniano Peyman Moaadi, famoso pelo filme A Separação, interpreta o prisioneiro Ali.

Como retrata os iranianos: 
É um filme com poucos personagens, com todos os protagonistas muçulmanos interpretando prisioneiros em Guantánamo. Preso há 8 anos, o único passatempo do prisioneiro Ali é ler Harry Potter, recitar o Alcorão e desenhar arabescos em copos de plástico. A polêmica está no fato de que o personagem iraniano é preso por ser acusado de terrorismo, embora não exista nenhuma prova até o final do filme de que ele tenha cometido algum ato terrorista.

E você, conhece mais algum filme ou série que retrata os iranianos de forma estereotipada? Deixe o seu comentário! 

Sites consultados: Adoro CinemaIMDb e Wikipedia


4 comentários

  1. Azizam minha amiga!!! Você arrasou mais uma vez com esse post!! Você teria o link dos filmes em questão com legenda ou tradução? Mesmo os repudiados... gostaria de assistir a todos... 😊 Obrigada Janinha!!! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi azizam! Sempre me alegra muito ver seus comentários aqui!!! Vou ter que dar uma busca nos links, alguns destes filmes faz muito tempo que assisti... Apedrejamento de Soraya e O Dançarino do Deserto tem os links nos posts que falam sobre eles aqui no blog.
      Beijo enorme!

      Excluir
  2. Boa noite. Vim aqui para dizer que estou adorando seu blog. Sempre sou curioso sobre países do mundo, o Irã é um dos países que mais me fascinam. O país faz belos filmes como Filhos do Paraíso e Fora de Jogo. Estou aprendendo muita coisa sobre esse país e os meus olhos estão abrindo.
    Está de parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Germano! Que surpresa boa! Fico muito feliz que estou fazendo minha parte para divulgar esta cultura que a mídia aborda tão injustamente. Continue na sua busca e aproveite para explorar muito o blog!
      Abraço

      Excluir