HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Ensaio fotográfico: Olhando através do Espelho Persa

O ensaio fotográfico Through a Persian Looking-Glass, é um projeto de autoria da fotógrafa pesquisadora norte-americana Karen Polinger Foster que viajou ao Irã em maio deste ano através de um programa educativo da Universidade de Yale. A sequencia de imagens em pares mostra a onipresença dos espelhos na cultura persa, ao lado de retratos de mulheres, ou representações da figura feminina como manequins, sempre emoldurados pelos véus, seguidos de uma reflexão escrita pela da autora buscando uma compreensão mais profunda a respeito desta cultura.

"Espelhos, reais e metafóricos, estão em todos os lugares, dos bazares dos dias de hoje aos palácios e jardins do passado. Os rostos das mulheres emoldurados pelos véus, também estão em todos os lugares, tão individuais como estes manequins".

" ... [A arte iraniana do] séc. XVIII viu a introdução de espelhos e vidros coloridos combinados com trabalhos em estuque branco, como aqui nesta casa que foi de um rico comerciante em Yazd. Diante do Palácio de Golestan em Teerã, duas estudantes de engenharia química, do mesmo modo, combinam em suas vestes o brilhante e o fosco, com suas sedas intensamente coloridas e chadores negros."

 "No século XIX, estilos, cores e motivos europeus começaram a influenciar as artes decorativas iranianas, especialmente embelezando as residências de pessoas notáveis. Quatro farmacêuticas visitando o jardim Narenjastan em Shiraz posam com estampas ocidentalizadas exuberantes, contra os painéis e pilastras com adornos similares na suíte de recepção. Também, flores em profusão se entrelaçam sobre as janelas espelhadas e colunas quase clássicas do pórtico desta mansão em Teerã." 


"Assim falava o poeta do séc. XIX Ghalib, O jardim é o verdete no espelho da brisa primaveril'. Aqui a imagem ganha vida em um espelho de uma loja em Shiraz. A mítica fênix surge das chamas, com suas asas e corpo espelhados refletindo o verde  do jardim. À direita, duas mulheres refletem o brilho e a jovialidade,  assim como as cores da fênix que aparece no espelho."

"Os espelhos perfeitos das piscinas dos jardins persas inspiram a contemplação e a introspecção. Para os místicos como Shah Nematollah Vali, do séc. XV cujo mausoléu em Kerman é visto aqui, eles proveram o significado metafórico da visão de Deus. Para estas estudantes de artes que visitam o jardim Bagh-e Tarikhi em Mahan, a água evoca um tema recorrente na poesia persa - o coração polido como um espelho para refletir somente a beleza de seu amado."

"Para evitar o mau-olhado, os primeiros itens com que um noivo presenteia a sua noiva em um tradicional casamento persa são  dois candelabros, um espelho e um Corão. Aqui estes itens em filigrana prateada, refletem a Mesquita  Lotfallah em Isfahan. A cor turquesa de seus azulejos é a mesma que emoldura a face radiante desta jovem recém casada retribuindo o sorriso tímido de seu esposo."
"Perto de Yazd há um vilarejo zoroastriano que abriga um modesto templo do fogo onde uma chama eterna é guardada por esta anciã. Ela, transportada por seu dever sagrado, parece olhar para outra dimensão, enquanto dentro do santuário, a gravura de Zoroastro no vidro, prega sobre bem e mal, luz e trevas, e auto reflexão através do espelho." 


3 comentários

  1. Minha querida o q vc publicou aqui de casamento e estas mulheres cobertas não é tradição persa, é tradição islâmica a iraniana!!!
    Para conhecer tradição persa tem q voltar a pesquisar as tradições zoroastrianas!! q O espelho de fato vem de antiga persa até porq os árabes nem sabia o q é espelho!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido anônimo,
      Obrigada pelo comentário, mas parece que é você quem não sabe o que está dizendo.No Irã de hoje, mesmo sendo um país islâmico, as tradições zoroastrianas estão profundamente arraigadas na vida de seu povo. Exemplos são a celebração do Nowruz (Ano Novo Persa) que faz parte do calendário oficial e a paixão dos iranianos por parques e natureza que são heranças da antiga religião persa. Recomendo que leia mais posts do blog antes de dizer o que a autora tem que pesquisar.

      Excluir
  2. Que ensaio mais lindo! Muito poético e interessante. O link que a fotógrafa fez entre a arte presente nos espelhos (naturais e não naturais) com as mulheres, reflete uma visão muito sensível. Adorei.

    ResponderExcluir