HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Jornalistas iranianas ganham permissão para assistir volei


Salam amigos! A detenção da jovem anglo-iraniana Goncheh Ghavami, por ter assistido a uma partida de volei masculino no Irã, sem dúvida foi uma das notícias mais comentadas da semana. De fato, a entrada de mulheres em qualquer tipo de competição masculina em ginásios e estádios é totalmente proibida pelas leis da República Islâmica. Porém, não existe nenhuma restrição para que o público masculino assista as partidas das atletas iranianas que devem jogar utilizando um traje islamicamente correto. Mas depois de tantos protestos e pressões, parece que finalmente as mulheres, embora, uma seleta minoria de profissionais ganharão acesso a espaços antes restritos. Segundo esta notícia publicada hoje, as autoridades do Irã permitirão apenas que  mulheres jornalistas e fotógrafas possam cobrir partidas de vôlei masculino, que até agora só podiam ser assistidas por homens.
O Ministério de Juventude e Esportes concederá permissões as jornalistas e fotógrafas para comparecer a estes eventos esportivos, informou a agência de notícias estatal iraniana "Irna".
"O vôlei iraniano está sob pressão por parte da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) por não permitir que mulheres entrem nos ginásios. Esta foi a razão pela qual o Irã não pôde sediar o campeonato mundial juvenil", informou recentemente a agência "Fars".
No início de novembro a justiça iraniana condenou a um ano de prisão Ghoncheh Ghavami, uma jovem de 25 anos com dupla nacionalidade, britânica e iraniana, depois de ela tentar assistir, como espectadora, uma partida de vôlei. Ghavami, estudante de Direito na Universidade de Londres e graduada na Escola de Londres de Estudos Orientais e Africanos, foi detida em 20 de junho após comparecer junto com várias ativistas de direitos das mulheres a um jogo da seleção iraniana de vôlei no estádio Azadi, em Teerã. As jovens se manifestaram fora do centro esportivo exigindo liberdade para que as mulheres possam ser público deste tipo de evento e várias delas foram detidas pelas Forças de Segurança.
Ghavami foi acusada de "propaganda contra o Estado" e passou parte de sua detenção em uma cela de isolamento na prisão de Evin, no norte de Teerã.A FIVB também pediu a libertação de Ghavami e lembrou que esta organização é comprometida com "a inclusão e os direitos das mulheres de participar dos esportes em base de igualdade".
No início deste mês a FIVB anunciou que o Irã não sediaria o campeonato mundial juvenil de 2015 (que acontecerá na Argentina) e que não poderá hospedar nenhuma outra competição internacional até retirar a proibição de as mulheres assistirem aos jogos.
Fonte: EXAME 


2 comentários

  1. Salam Jana Azizam!!
    Olha, se as autoridades soubessem a força da torcida feminina iraniana, o quanto elas amam vôlei e vibram com cada vitória da seleção nacional, eles liberariam a entrada das mulheres nos estádios na hora!
    O interessante é que parece que estrangeiras podem entrar, segundo minhas amigas iranianas, mas elas não.
    Contraditório né?!
    Um beijo, adorei o post!
    LÍVIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Lívia azizam! Eu concordo com você! As mulheres são uma grande força no esporte nacional do Irã também e infelizmente muito pouco reconhecidas. Eu realmente não sei se estrangeiras podem entrar noes estádios, acredito que mesmo as turistas são obrigadas a respeitar os códigos locais. Mas pode ser como tudo tem raras exceções...

      Beijos e obrigada pelo comentário!

      Excluir