HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Será que o xadrez foi inventado na Pérsia?

Ilustração de uma partida de xadrez do manuscrito Haft Awrang de Jami, sec. XV 
Você sabia?  A origem do xadrez é controversa e ainda motivo de debate entre os historiadores, uma das teorias alternativas indica que o Chatranj é o antecessor mais antigo do xadrez moderno, tendo sido inventado na Pérsia antiga. 
Esta teoria questiona a ausência de evidências arqueológicas indianas anteriores ao século IX enquanto evidências persas já foram encontradas como sendo do século VI. A literatura indiana anterior ao século VI é rica porém não faz uma menção específica ao chaturanga, somente ao Ashtāpada, e a utilização da palavra chaturanga anterior ao século VI não está relacionada ao jogo, sendo que as evidências mais claras surgiram somente no século IX. A etimologia a respeito do jogo também é refutada como não sendo objetiva onde a palavra em sânscrito chaturanga significa somente "exército" não ficando claro se é uma referência ao xadrez ou a outro jogo. A influência persa na nomenclatura do jogo, do qual a maioria das palavras tem como raiz a língua pahlavi, também são consideradas como argumentos a favor da teoria iraniana.
Ilustração de um manuscrito persa, mostrando
 uma partida de shatranj na corte persa
A presença da figura do elefante como um dos argumentos utilizados para justificar a origem indiana do jogo também é refutado segundo o qual os animais não eram exclusividade da Índia, sendo conhecidos desde o período ptolemaico no Egito, e utilizados nos exércitos persas e por Alexandre, o Grande durante a campanha de conquista da Índia no século III a.C.. As literaturas persas Chatranj namâg e Shāhāmeh que indicam a origem do jogo como de um outro reino a oeste, relatado como Hind e que trouxe o chaturanga para corte persa, poderia indicar uma província oriental do império persa que inclui a província moderna do Sistan e Baluchistan, que durante a dinastia Aquemênida era uma extensão da província do Khuzestan.
Os persas também introduziram expressões no jogo como o xeque e xeque-mate além de terem desenvolvido variantes como o xadrez circular e o de Tamerlão, criado durante o Império Timúrida, que empregavam tabuleiros diferentes do formato convencional do período e uma grande variedade de peças não-ortodoxas do xadrez.
Os vestígios arqueológicos de peças de xadrez mais antigas sob domínio persa são um conjunto de sete pequenas figuram em marfim sendo dois soldados, um cavaleiro, um elefante montado e uma espécie de felino também montado e também duas diferentes bigas. Estas peças foram encontradas no sítio arqueológico de Afrasiab, perto da cidade de Samarcanda no Uzbequistão em 1977 e foram datas como sendo provavelmente do século VII.O primeiro registro literário do xadrez na literatura persa é encontrado no poema épico Karnamak-i-Artakhshatr-i-Papakan ("Os registros de Artaxes I, filho de Papak") escrito na língua pahlavi por volta do século VI.12 Este poema relata a vida de Artaxerxes e menciona que este era habilidoso no chaturanga, que é considerado o antecessor do xadrez moderno.

Ilustração do livro Shāh-nāmeh, mostrando uma partida de xadrez na corte persa
Fonte: Wikipedia


Um comentário

  1. olha uma interessante fábula acerca do tema lá no meu blog! http://mariakaufmann.blogspot.com/2014/05/xeque-mate.html

    ResponderExcluir