HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Encontro muito especial na Mesquita do Brás

Mesquita do Brás, São Paulo
Salam amigos! Há tempos eu vinha procurando um pretexto para visitar a Mequita do Brás, a única Mesquita xiita em São Paulo, mas não ia por falta de tempo ou falta de coragem de ir sozinha. Porém, nesta segunda-feira não tive desculpa para não ir. Fui convidada por minha querida amiga Karla Mendes que teve o primeiro contato com o sheikh Hossein Khaliloo na Expo Religião que aconteceu no Rio de Janeiro em agosto deste ano. Neste post vou contar  como foi esse encontro tão especial! Mas antes gostaria de esclarecer que não pretendo fazer propaganda de nenhuma religião aqui no blog , mas em tempos de extremismos e preconceitos acredito que é muito importante o contato amistoso com pessoas que possam desmistificar a visão  negativa que é fruto do desconhecimento. Eu terei o mesmo prazer de conversar com qualquer pessoa que queira explicar sobre outras religiões com a mesma paciência e carinho que o Sheikh Hossein teve para conosco para falar do islamismo.
Karla, sheikh Hossein e eu na Mesquita do Brás
Karla me descreveu o sheikh como uma  pessoa muito querida e amável. A primeira impressão que tive ao vê-lo na Mesquita do Brás, não foi diferente. Foi a primeira vez que nós duas visitamos a mesquita também. Chegamos por volta das 13hs e o funcionário na entrada nos orientou para cobrir os cabelos com o véu.  A mesquita está em reforma, mas o sheikh Hossein nos recebeu com muita gentileza no andar inferior da mesquita onde se localiza um grande salão de orações. O sheikh é um jovem sorridente e sua fala nos transmite muita calma e apesar de alguma  dificuldade em se expressar em português fala da religião com bastante coerência. Apesar de nossa preocupação de se portar corretamente dentro da mesquita, a conversa foi bem informal. Sem os trajes típicos dos clérigos muçulmanos, ele nos contou que nasceu na província do Azerbaijão na fronteira com a Turquia, mas morava em Qom, também ficou muito contente ao saber que estive no Irã e que também tenho um blog que fala exclusivamente sobre o seu país!
Como sou uma pessoa muito reservada, me contentaria apenas em ouvir as explicações do sheikh. Mas Karla com seu espírito curioso se encarregou de fazer perguntas e extrair uma boa conversa. 
Conversamos sobre a dificuldade do ocidente em compreender o islamismo devido a imagem negativa que a mídia ocidental propaga sobre os radicais islâmicos e terroristas que usam o nome de Allah - Deus - com a finalidade de justificar crimes contra a humanidade. Citando como exemplo o polêmico programa nuclear iraniano, o sheikh nos explica que o Irã não poderia usar a tecnologia para produzir bombas nucleares porque para os muçulmanos matar é pecado. Perante o islã até mesmo cortar árvores ou sacrificar animas desnecessariamente é pecado!  Ele prossegue esclarecendo que o islã  não é uma religião nova, mas o complemento das religiões reveladas, o judaísmo e o cristianismo. Os muçulmano não consideram Jesus como o Filho de Deus, mas o reconhecem como um dos maiores Profetas inspirados por Deus (os outros profetas são Adão, Noé, Moisés e Mohammad, o último mensageiro). Os muçulmanos xiitas, particularmente acreditam que os sucessores do Profeta Mohammad são os 12 imams  ou Ahlul bait. O maior  santuário xiita do mundo está em  Karbala, no Iraque. É lá que se encontra o túmulo de Hussein, filho do Imam Ali, visitado por milhões de xiitas do mundo inteiro, inclusive do Brasil, mesmo com riscos iminentes de atentados na região. 
Outra questão curiosa para muitos brasileiros é a proibição de comer carne de porco dentro do código islâmico. Indaguei que o porco que consumimos é industrializado e geralmente se alimenta de soja, então porque ainda é proibido? O sheikh Hossein explica que além da natureza impura do animal, ainda existem bases cientificas sobre o malefício da carne de porco (sugiro que leiam mais sobre este assunto aqui). O cachorro também é considerado um animal impuro, por esta razão não pode ser criado dentro  de casa, mas um muçulmano pode ter um cão para proteger sua casa.
Karla perguntou também sobre o uso do véu pelas mulheres, afinal tomando como parâmetro nossa experiência sob o calor de 30° C daquele dia, muitas mulheres podem considerar o hejab uma verdadeira tortura. Além disso conhecemos várias muçulmanas que optaram por não usar o véu porque seriam vistas com preconceito no local de trabalho. Sheikh Hossein esclarece que o véu para a mulher muçulmana é simbolo de proteção e guardar o seu valor. A mulher sofre por causa do calor, mas pra aquelas que acreditam, o véu não é um peso. Ele cita como exemplo, uma mãe que acorda no meio da noite ao ouvir o filho chorar, para ela  é difícil sacrificar algumas horas de sono, mas ela faz isso com amor (veja mais sobre este assunto aqui).
Finalmente Karla pergunta o que ele pensa sobre as mulheres que se convertem para casar com muçulmanos árabes e do Oriente Médio. A reposta do sheikh é que se a mulher se converte por causa do marido, pode ser que quando se separar não continuará fiel a religião. A religião é fruto do conhecimento, o islã é perfeito, mas os seres humanos não são perfeitos. Se uma máquina tem um manual de instruções e nós o lemos para compreender como ele funciona. Para compreender a vida, temos que ler o manual do Criador,  
Ao final da visita, ele nos presenteou com exemplares do Alcorão Sagrado em português, e da revista Evidências que serão um ótimo material de referência para este blog. Enfim, peço por gentileza que aqueles que não concordam com as opiniões expressadas neste post, apenas as respeitem. Embora eu não seja praticante do islamismo, sou uma mera buscadora de conhecimentos e acredito que o diálogo e entendimento da diversidade de pensamentos e credos é  o caminho para a paz! E se algum amigo muçulmano quiser fazer alguma correção em algum dos tópicos, com certeza será muito bem-vindo.


Quero finalizar com um agradecimento muito especial ao Sheikh Hossein Khaliloo por nos transmitir seus conhecimentos com tanta paciência e carinho e também a Karla Mendes azizam por ter me dado a oportunidade de vivenciar este encontro!

Sites para consulta: 
Centro Cultural Imam Hussein
IBEI - Instituto Brasileiro de Estudos Islâmicos
Mesquita do Brás


6 comentários

  1. Aziiizam!! Que momento delicioso que tivemos na Mesquita! Imagina amiga... mais cedo ou mais tarde você acabaria indo por conta própria, eu quem agradeço a sua prazerosa companhia de sempre!!!
    Quer dizer que minha curiosidade ajudou né?!? Rsrsrsrs Eu seria capaz de ficar horas e horas fazendo perguntas.... rsrs
    Eu também gostaria de agradecer o Sh. Hossein Khaliloo! E Kheili mamnooon à você também Aziza Jana pela sua doce amizade!! Beijinhos!! :* <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Karla azizam! Fiquei muito feliz de ver sua participação aqui! Eu agradeço a cada dia por nosso círculo de amigos estar crescendo cada vez mais por causa do Chá! Eu também sou uma pessoa curiosa, mas minha timidez as vezes precisa de um empurrãozinho rsrs
      Obrigada por este momento tão especial! Saudades!
      Beijo da moça do chá!

      Excluir
  2. Salam, Jana! Que delícia esse post! Amei essa visita de vcs a mesquita do Brás! Sempre tive vontade de visitá-la desde criança! Apesar de não ser muçulmana acredito no mesmo que você e sei que devemos extrair o melhor de cada religião, e conhecimento, sempre!
    Continue com esses posts ótimos, eu adoro!
    Beijosssss
    Lívia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam querida Lívia! Recomendo que vá sim visitar a Mesquita, será muito bem recebida como nós fomos! Conhecimento é luz, e a luz pode vir de várias fontes!
      Obrigada por seu carinho!
      Beijos!

      Excluir
  3. Salam, muito bom seu site e essa matéria. Conheceu o Sher Khalilu uma pessoa de coração muito bom, eu tenho a oportunidade de vivênciar grande parte do que escreve em suas matéria, eu vivo em Qom e o Irã está em meu coração. Existe um site de arte islâmica que poder vir a ser útil p suas matérias, fotografia.islamoriente.com ele está em vários idiomas, inclusive em português. Que Deus te guarde e tudo de bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Eliezer! Infelizmente só vi seu comentário agora! Adoraria saber mais sobre sua experiência em Qom! Este site que você me indicou é fantástico!
      Por favor entre em contato comigo no e-mail chadelimadapersia@yahoo.com.br
      Abraços!

      Excluir