HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Pedido contra a execução da jovem Rayhaneh Jabbari

Rayhaneh Jabbari, 26 anos, condenada por matar em legítima defesa
Salam amigos, o blog Chá-de-Lima da Pérsia não costuma servir a nenhuma forma de ativismo político, mas por minha própria convicção pessoal me senti na obrigação de ajudar a divulgar esta campanha contra a execução da jovem Rayhaneh Jabbari, 26 que está presa desde 2007 por matar em legítima defesa um membro da inteligência iraniana que tentou estuprá-la. O veredicto condenando Rayhaneh à pena de enforcamento já foi assinado e a execução pode acontecer em poucos dias. Eis um resumo dos fatos segundo o site da Organização Avaaz:

Rayhaneh, uma designer de interiores, estava falando ao telefone sobre seu trabalho em uma cafeteria, uma conversa que coincidentemente foi ouvida por Morteza, um médico que se aproximou dela por recomendação profissional sobre reformar seu escritório. Então eles marcaram um encontro no escritório dele para consersarem sobre o projeto de reforma
No dia do encontro, Morteza buscou Rayhaneh em seu carro. À caminho do escritório, Morteza parou em uma farmácia para comprar algo. Ao chegarem no escritório, Rayhaneh notou que aquele lugar parecia uma casa abandonada e não um escritório. Dentro da casa, Rayhaneh viu dois drinks na mesa, Morteza entrou e rapidamente trancou a porta e começou a agarrar Rayhaneh pela cintura dizendo que ela "não teria como escapar". Para se defender, Rayhaneh esfaqueou Morteza no ombro e fugiu. Ele morreu por hemorragia. 
Um exame de laboratório mostrou que os drinks que Morteza pretendia servir a Rayhaneh continham sedativos. Mesmo assim ela foi presa. Ela foi informada pelas autoridades que o assassinato tinha sido forjado por " motivações politicas". No entanto, Reyhaneh foi torturada até confessar o assassinato, depois  foi dada a pena de morte, que foi confirmada pelo Supremo Tribunal. Como resultado, ela pode ser executada a qualquer momento.
Rayhaneh explicou claramente ao investigador do caso que ela era inocente, que encontrou Morteza somente por razão profissional e que o matou em legítima defesa para se proteger de estupro. Durante uma reunião sobre o caso no Tribunal Penal, a família de Morteza clamou pela "sentença de morte" contra Rayhaneh.

NOTA: A pena de morte é aplicada na República Islâmica do Irã geralmente em caso de adultério, roubo, homossexualidade, tráfico de drogas e dissidência política e a maioria dos condenados não tem acessos advogados, julgamento ou mesmo provas contra eles. Desde a eleição do presidente Rouhani houve uma pequena diminuição na quantidade de execuções.  
o pedido contra a execução de Rayhaneh Jabbari 
Agradeço a todos que puderem compartilhar este pedido em seus blogs e sites.


Adoce o chá com seu comentário!

Postar um comentário