HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

As Pontes Históricas de Isfahan

Ponte Si-o-seh sobre o rio Zayandeh, Isfahan 
A cidade de Isfahan  em meio ao Deserto Kavir é atravessada pelo rio Zayandeh, cuja nascente está nos montes Zagros. Embora seja o maior rio do planalto central do Irã ele não chega até o mar e desaparece a cerca de 100 km a leste da cidade de Gavkhouni. Devido a necessidade de conectar as partes norte e sul da cidade separadas pelo rio, diversas pontes foram construídas. Apesar de já existirem algumas pontes desde a época da dinastia Sassânida  (226-651), foi durante a dinastia Safávida (1502-1736) que elas se tornaram mais imponentes e magníficas.
O antigo Império Romano foi a civilização que mais desenvolveu a tecnologia de construção de pontes. A Pérsia aprendeu a tecnologia dos romanos na construção de suas monumentais pontes, usando pedra somente na base, que eram substituídas na parte superior por tijolos, o principal material dos edifícios iranianos. As pontes persas não eram utilizadas somente para o transporte de pessoas e mercadorias de um lado para outro da cidade, mas devido a importância do rio na irrigação de uma cidade de clima desértico, também tinham a função de represas e barragens. Em Isfahan há um total de onze pontes modernas e históricas, entre as mais importantes podemos destacar:

Ponte Shahrestan 
Ponte Shahrestan: a mais antiga
É a ponte mais antiga a atravessar o rio Zayandeh, localizada no limite da cidade de Isfahan. Suas fundações datam do séc. III ao VII da era Sassânida. Mas a parte superior foi reformada no séc. X pela dinastia Buyida e finalmente durante o séc. XIX pelos Seljúcidas. Apesar disso seu estilo arquitetônico é totalmente Sassânida. As medidas da ponte são aproximadamente 140 m de comprimento por 5m de largura. É composta por dois níveis de arcos, sendo 13 na parte inferior e 8 na superior. Suas altas comportas permitem que a água escoe rapidamente durante as cheias do rio. A ponte que atualmente é uma via exclusivamente utilizada por pedestres leva ao vilarejo de Shahrestan, que encontra-se no limite da cidade.

Ponte Si-o-Seh

Ponte Si-o-seh: a maior de todas!
Com 295m de comprimento, é a maior ponte de Isfahan. Encontra-se no ponto mais largo do rio ao longo da Avenida Chaharbagh. Esta ponte foi construída por Allahverdi Khan, um general que servia ao Shah e por isso recebeu primeiro o nome deste general, mas ficou famosa por seus 33 arcos, por isso é chamada de Si-o-Seh Pol, ou "Ponte Trinta e Três". No século XVII, a ponte já tinha uma calçada para os pedestres, separada pela pista central para veículos. Posteriormente a calçada foi coberta com um teto para proteger os pedestres do sol. Devido a sua estrutura de três arcos contínuos sobre cada arco maior da base, sua aparência é espetacular, em um alinhamento de 100 arcos no total. E as calçadas cobertas não servem apenas para caminhar, mas também como um lugar de repouso para apreciar o belo cenário da cidade.

Ponte Khaju

Ponte Khaju: a mais bela! 
Construída por Shah Abbas II em 1650 um pouco mais abaixo do rio é considerada a ponte mais bela de Isfahan. Tanto a parte inferior ao nível da água quanto as calçadas na parte superior possuem espaços salientes hexagonais no centro que servem como plataformas de observação, onde as pessoas podem apreciar a paisagem, além de se reunirem para conversar. O próprio Shah ocasionalmente organizava um grande festival utilizando todo o espaço desta ponte. Na parte inferior da ponte Khaju encontram-se chaikhanehs (casas de chá) que ainda hoje funcionam como ponto de encontro popular. A decoração dos arcos da parte superior é composta por azulejos coloridos que também indicam que além de ser uma estrutura facilitadora do tráfego esta ponte também foi feita para ser desfrutada pelos passantes. Além disso, a Ponte Khaju funciona como uma barragem, controlando o fluxo do rio. Embora sua aparência exterior consista de séries de arcos de tijolos, que é a mesma dos caravanserais e madrasas, o som e o movimento da água jorrando fortemente por entre seus pilares confere uma fascinante dinâmica à paisagem da cidade.

Embora menos famosas, há outras duas pontes históricas em Isfahan:

Ponte Marnan
Ponte Marnan:  A estrutura desta ponte data da era Safávida, mas suas fundações possivelmente são tão antigas quanto as da ponte Shahrestan.

Ponte Joui
Ponte Joui: Também conhecida como ponte Chubi, foi construída em 1665, durante a era Safávida por Shah Abbas II. Localiza-se entre as pontes  Khaju e Ferdowsi. Possui 147 m de comprimento e 4 m de largura, com 21 arcos. Sua função original era irrigar e interligar os jardins reais em ambos os lados do rio. Na ponte existem dois salões que eram usados pelo shah e seus cortesões e que atualmente servem como casas de chá.

A Seca do Rio Zayandeh

Ponte Si-o-Seh, quando estive em Isfahan, Setembro de 2013
NOTA: recentemente, o rio Zayandeh que costumava ser uma das maiores atrações turísticas de Isfahan, enfrenta um  período de grave seca devido ao represamento e problemas com a administração dos recursos hídricos na região. Após os protestos da população, o presidente Rouhani iniciou um plano para recuperação do curso de água, porém, tudo indica que levará muitos anos para que turistas tenham a oportunidade de ver o rio Zayandeh correndo novamente sob as pontes de Isfahan.

Baseado no artigo The Bridges on the Zayandeh River e Wikipedia


6 comentários

  1. Adoro seu blog, mas nesse momento você precisa atualizar essa matéria. O rio está completamente seco há muito tempo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Elisamar, obrigada por lembrar! É muito triste ter que atualizar essas informações, mas é sempre bom recordar das belas imagens quando ainda havia água.

      Excluir
  2. Seu blog está tão bonito, Janaína. Dê-nos sempre seu contributo de inexcedível labor e beleza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá David! Obrigada! É sempre um prazer tê-lo por aqui!

      Excluir
  3. ESTIVE EM ISFAHAN NO FINAL DE SETEMBRO DE 2014, E CONFERI O QUE DISSE ELISAMAR MACHADO. O RIO ESTÁ ABSOLUTAMENTE SECO !!!
    QUE TRISTEZA E DESOLAÇÃO !!!!
    MARGARETE COELHO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Margarete! Infelizmente, isso é muito triste mesmo! Quando estive em Isfahan em setembro do ano passado já estava seco. Pensei que era só durante o verão, porque meus amigos disseram que 3 meses antes ainda havia água... Realmente uma lástima não haver mais a possibilidade de vermos o rio Zayandeh sob essas pontes! :(
      Obrigada pelo comentário!
      Abraços!

      Excluir