HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Viajar para o Irã: você vai sozinha?

Como eu me sinto quando...
Salam amigos da Pérsia, estou escrevendo este post contando os segundos para a data mais esperada da minha vida. Isso mesmo, finalmente está chegando a minha hora de visitar o Irã!!! (Ui que frio na barriga!) Na madrugada de quinta-feira, a Moça do Chá vai embarcar para as terras da Pérsia e passar 21 dias conhecendo as cidades mais lindas, visitando amigos de longa-data e obviamente capturando o máximo de informação para compartilhar nesta nossa chai khaneh virtual!
A pergunta que mais me fazem a esta altura do campeonato é:  VOCÊ VAI SOZINHA??? 
Sim, VOU SOZINHA! Porém, sozinha eu posso estar durante as 14hs de vôo com 1 parada em Istambul, mais 5 horinhas (incluindo espera) até o Aeroporto Imam Khomeini em Teerã.  Mas estou otimista de que quando eu chegar na maravilhosa capital do Irã, não vão faltar companheiros de jornada. Além das vivências de alguns dias em várias casas de amigos em diferentes cidades do Irã do Norte central, e um ou outro hotel que porventura eu precise ficar por lá.  
Então como boa turista de primeira viagem, estou caçando informações que mais tarde podem ser úteis para todas as leitoras que querem embarcar nessa mesma "loucura", aventura, desafio, chamem como quiser! 

Eis o post de hoje: DICAS PARA MULHERES QUE VÃO VIAJAR SOZINHAS PARA O IRÃ: 

O que você vai precisar: um bom guia turístico é essencial, para passar uma temporada longa em outro país. Mas infelizmente não existe, ou eu não achei absolutamente nenhum guia sobre o Irã em língua portuguesa. Minhas referências serão os sites e blogs de viagem que eu indico por aqui. Mas se você quiser uma dica mais confiável, o guia Lonely Planet (em inglês), que você pode encomendar em alguma livraria ou comprar pela internet é atualmente a bíblia dos turistas estrangeiros que vão para o Irã.

O que você deve vestir: já falamos desse assunto em outros posts, mas nunca é demais reforçar. O Irã é uma República Islâmica, onde todos, até mesmo os turistas, devem seguir um código de vestimenta conservador e a forma que você se veste pode até mesmo indicar "de que lado você está" com relação à política. Mas não fique excessivamente preocupada com isso, afinal você está visitando um país onde o povo é extremamente gentil e hospitaleiro. Porém é admirável mostrar que você se informou antes de viajar e quer respeitar os costumes do país. 

Visite fóruns de viajantes e mochileiros na internet: 
Lá você encontrará diversos relatos de viajantes experientes e poderá tirar suas dúvidas. Eu particularmente não acesso  muito esses foruns, porque sempre estou em contato com pessoas de lá que viajam bastante. Mas para quem quiser duas dicas, em português há um tópico sobre Irã no: Mochileiros.com e em Inglês : Thorn Tree Forum - Lonely Planet

Fique esperta com a hospedagem: 
Tem muita gente que gosta de se aventurar na base do improviso e viajar sem nenhuma reserva de hotel ou hospedaria. Embora alguns dos meus amigos garantam quem em baixas temporadas como a que eu escolhi a maioria dos hotéis estão absolutamente vazios, não é bom confiar 100% na sorte.  É bom garantir uma reserva ou endereço fixo pelo menos  para passar os 2 primeiros dias em um hotel decente enquanto procura acomodações adequadas para o resto da viagem. Para nossa felicidade, há uma grande variedade de tipos e preços de hotel. Um bom quarto em um hotel 2 estrelas custa em torno de 30 dólares por noite. Há também opções mais baratas nas hospedarias ou hotéis sem luxo em torno de 15 a 25  dólares. Mas fique esperta! Nem todos os hotéis mais baratinhos são recomendáveis para mulheres que viajam sozinhas.

Fique alerta com os estranhos: vestir-se da maneira correta, como eu disse é fundamental, mas nem sempre isso garante que você estará totalmente livre dos assédios de algum rapaz "assanhadinho". Uma das formas de evitar que algum estranho confunda sua simpatia  com "algo mais", é evitar ficar encarando, manter certa distância do corpo da pessoa e  jamais tocar nele enquanto fala! Evite também dar risadinhas ou fazer charminho... Confie em sua intuição, por mais amáveis e delicados que sejam os iranianos, como em qualquer outro lugar existem os mal intencionados. Na pior das hipóteses, chame a polícia ou peça socorro para alguém próximo.

Imagem: Rocket News 24
Mantenha contato com pessoas locais: Apesar das últimas recomendações, não se acanhe excessivamente de manter contato com as pessoas locais, pois essas provavelmente irão trazer ajudas valiosas para sua viagem. Sabendo que você é uma turista, provavelmente elas irão convidar você para se juntar a elas em uma refeição ou piquenique. Se você está vestida da forma modesta, ninguém vai pensar mal de você por andar sozinha. E se você é tímida (como eu) somente aceite convites onde realmente estiver à vontade, por exemplo, em ambientes familiares, com mulheres e crianças ao redor. Os jovens especialmente são muito comunicativos e irão fazer muitas perguntas sobre o lugar de onde você veio, seja paciente com eles e diga que você está adorando conhecer o Irã!

Restaurantes: Dê preferência aos restaurantes próximos do lugar onde você está hospedada. Procure sentar-se perto de famílias ou outras mulheres. Os restaurantes são ótimos lugares para fazer amizades, mas se não estiver a fim de puxar papo com ninguém leve um livro ou revista e comece a ler enquanto espera pela refeição, ninguém irá te "amolar".

Imagem: The Washington Post
Romances, evitar ou não evitar? 
Talves no meio da viagem você conheça alguém realmente especial, e sinta o coraçãozinho bater mais forte... Isso é lindo, não? Mas é aí que a coisa complica! Há muitas questões que para nós brasileiras e ocidentais são naturalíssimas, mas para as mulheres iranianas são um grande tabu. A principal delas é o sexo antes do casamento. Enquanto muitos rapazes tem a ousadia de afirmar suas proezas sexuais (verídicas ou muitas vezes, puro fingimento) as mulheres nem sequer tocam nesse assunto. Ou seja, perder a virgindade antes do casamento, significa tecnicamente não poder casar com mais ninguém!
E para as turistas, como fica? Na realidade existem sim relacionamentos e até casamentos de iranianas com estrangeiros, mas isso ainda é algo bastante raro. Mas se você está irremediavelmente apaixonada por um iraniano, deve levar em conta que isso será um grande desafio, e terá que transpor várias barreiras culturais, como a linguagem, os costumes, a religião, a aceitação da família, a distância geográfica, entre outras. 
Não estou querendo desanimar ninguém, nem dizendo que é impossível, mas não vá se animando tanto com o primeiro iraniano que lhe der uma caixa de bombons. Faça muitos amigos e aproveite bastante! 


Silk Road Ensemble: "A Cidade do Silêncio"

Em "A Cidade do Silêncio" o kamancheh (espécie de rabeca iraniana), se une a outros instrumentos de corda ocidentais e à percussão criando uma rara performance. O compositor e mestre iraniano do kamancheh Kayhan Kalhor escreveu esta peça em memória  da cidade de Halabjah no Curdistão Iraquiano (veja o vídeo onde ele fala sobre sua inspiração para este trabalho). 
Veja a última parte do concerto realizado pelo projeto  Silk Road Ensemble, uma parceria de músicos de mais de 20 países  no Teatro da Universidade de Harvard em março de 2011.


As Luzes Festivas do Irã

Enquanto aqui no Brasil elas só aparecem em decorações de Natal e Ano Novo, enfeitando as ruas e os comércios, no Irã as lâmpadas coloridas são uma verdadeira mania em quase todos os feriados religiosos. Provavelmente elas se tornaram populares no séc. XX com a influência da moda ocidental nas decorações dos edifícios iranianos. Atualmente as lâmpadas neon e jogos de refletores multicoloridos também são onipresentes nos marcos das grandes cidades.

 
Imagens do site: ShahreFarang


Damavand: a montanha mais alta do Irã

Arash, lendário arqueiro atira sua flecha
do alto do Damavand
Você sabia? O Monte Damavand com 5610m de altitude é um vulcão adormecido e o ponto culminante do Irã e da Cordilheira do Alborz, localizado perto da costa sul do mar Cáspio (66km a nordeste da capital Teerã). Ele é considerado também a maior montanha do Oriente Médio e o maior vulcão da Ásia. 
Esta montanha grandiosa tem um lugar muito especial na mitologia persa, na literatura e na poesia ela é o símbolo da resistência iraniana contra as invasões estrangeiras. Segundo o Shahnameh, foi de lá que o arqueiro Arash lançou sua  flecha que delimitou a fronteira do Irã com os povos turanianos, e ali foi derrotado o demônio Zahhak pelas mãos de  Kaveh, o ferreiro e Fereydun. 
O monte Damavand também abriga algumas fontes termais com propriedades terapêuticas. A mais importante destas fontes está localizada em Abe Garm Larijan, no vilarejo de Larijan (não confundir com Lahijan). Além disso, no vilarejo de Polour no sul da montanha, se encontra o local favorito dos alpinistas  iranianos. Existem 16 diferentes  rotas de escalada, cada uma com um nível de dificuldade maior ou menor. Ali também se localiza a cascata congelada de Abshar Yakhi, com 12m de altura na altitude de 5100 que é a maior do Irã e do Oriente Médio. E as encostas do Damavand  abrigam uma grande diversidade de plantas e animais selvagens e aves raras.
Vestígios de atividade vulcânica no Damavand
Com as mudanças climáticas, o Damavand se transforma completamente. Na primavera, sua paisagem lembra os arredores do monte Fuji no Japão. Já no inverno ele se reveste totalmente de uma capa branquíssima de neve. Mas no verão ainda é possível ver alguns vestígios dessa neve sobre seu cume azul-esverdeado.
Damavand na Primavera
Damavand no verão
Damavand no Outono
Damavand no inverno
 (Site consultado: Wikipedia)


Instrumentos musicais iranianos: Tar

Mulher tocando tar, miniatura persa do palácio Hasht Behesht em Isfahan, 1669.
O Tar, um dos instrumentos mais importantes da música iraniana tradicional, consiste em um alaúde de braço longo e três cordas duplas derivado do tanbur da era Sassânida. Conhecido em uma variedade de formatos pelo Oriente Médio, Cáucaso e Ásia Central, o próprio significado da palavra tar em persa é "cordas". Por isso outros instrumentos dessa categoria são nomeados de acordo com o número de cordas que  possuem - assim temos o dotār de “duas cordas” e o setār de “ três cordas” (não confundir com o sitar indiano, que provavelmente é derivado do instrumento persa mas possui muitos mais cordas). O corpo do tar é esculpido a partir de um uma peça única de madeira que depois é separada em dois bojos  que lembram o formato do nosso número 8. Então as cavidades são cobertas  por uma membrana, o braço encaixado e as cordas afinadas.

>> Veja neste vídeo como é a fabricação do Tar: 

(Site consultado: Encyclopedia Brittanica)


O Tapete mais Antigo do Mundo

Pazyrik, o tapete mais antigo do mundo
Você sabia? Em uma escavação arqueológica no ano de 1949, foi descoberto o excepcional tapete Pazyryk em algum lugar em meio as geleiras do Vale de Pazyrik, nas Montanhas de Altai na Sibéria. Atualmente guardado no Museu Hermitage de São Petersburgo, na Rússia este tapete foi encontrado na tumba de um  príncipe Cita e o teste do carbono 14 indicou que ele data do séc. V a.C. Com 283 x 200 cm e 36 nós simétricos por cm², a técnica avançada utilizada no tapete Pazyryk indica uma longa história de evolução e experiência nesta arte. O Pazyryk é considerado a mais antiga peça de tapeçaria do mundo. A sua decoração é rica e variada: o campo central, vermelho vivo é ocupado por 24 figuras cada um das quais em forma de botões de lótus estilizados dispostos em cruz. Esta composição é emoldurada por uma faixa de grifos, seguida por uma outra com figura de cervos. A faixa mais externa contém representações de cavaleiros e os cavalos representados no tapete são quase idênticos aos cavaleiros sobre um friso na antiga cidade de Persépolis. Segundo os pesquisadores, a possibilidade de que  este tapete tenha sido produzido pelos povos nômades da região de Pazyryk é extremamente remota. Devido a sua sofisticação e riqueza de detalhes, é provável que o tapete Pazyrik seja realmente um produto da dinastia  persa Aquemênida. Agora permanece o mistério, se o Pazyryk é um produto nômade com influência aquemênida, ou um produto dos Aquemênidas que foi parar por meio das rotas comerciais existentes na época naquela região?

(Páginas consultadas: Persian Mythology Facebook e  Nazmiyal)


Viajar para o Irã: Perguntas e respostas


Salam, amigos! Antes de planejar sua viagem ao Irã, você deve pesquisar muito sobre as regras locais a fim de evitar problemas, mas também deve ter em mente que é o Irã é um destino onde os turistas se deparam com surpresas gratificantes e hospitalidade nota 10. Aqui vai uma série de 25 perguntas e respostas baseadas em sites e blogs especializados e viajantes experientes:

1. Como os iranianos cuidam da limpeza e saúde?

De fato, a limpeza é muito importante nas crenças dos iranianos e evidentemente eles cuidam dela tanto em ambientes públicos quanto privados. Existem campanhas massivas de vacinação e conscientização para erradicar muitas doenças que existem em locais afastados das cidades. No Irã você vai se deparar com ruas, restaurantes, hotéis, mercados e parques com ótimas condições de limpeza.

2. Como é a variedade e a qualidade de alimentos no Irã?

Aqueles que já estiveram no Irã, dizem que é difícil até de escolher entre a variedade de cozidos e kebabs entre outras receitas apetitosas. Há restaurantes de vários tipos e você encontrará muitos temperos e ervas, mas as comidas iranianas não são picantes e nem tão condimentadas quanto as indianas.O tempero é usado de forma moderada apenas para dar mais sabor. Também não existem frutas e verduras transgênicas no Irã, elas são apreciadas do jeito que vieram da natureza.
As carnes mais servidas nos restaurantes são frango, vitela, peixe e cordeiro.Você também pode encontrar peru, codorna e camarão, mas jamais porco, cobra, rã, cachorro ou coisas assim, porque essas são proibidas pelas leis islâmicas. Os vegetarianos também podem se fartar de uma variedade de alimentos no Irã, mas é recomendável avisar de antemão ao guia, para que ele possa indicar alguns restaurantes especiais. Os restaurantes vegetarianos não são tão populares no Irã (e nem  pessoas vegetarianas!), portanto informe seu guia sobre isso! (Veja mais informações nos posts sobre Culinária)

3. Que tipos de bebidas é possível comprar no Irã?

Você pode comprar alguns tipos de bebidas, (inclusive cervejas) não alcoólicas. Existem refrigerantes  fabricados no Irã e também algumas marcas internacionais que se encontram em qualquer lugar do mundo. As pessoas bebem água da torneira, obviamente filtrada e tratada, mas não é recomendável aos turistas que bebam qualquer água. É melhor comprar algumas garrafas de água mineral, porque estas estão dentro dos parâmetros internacionais de qualidade.

4. Como são as estradas no Irã?

Ao contrário do que muitos turistas pensam, as estradas do Irã não são esburacadas e nem poeirentas. São geralmente asfaltadas e muito bem cuidadas. Há rodovias em muitas direções e pistas separadas para as cidades para manter a segurança do transporte.

5. Qual é a distancia entre os principais destinos?

Geralmente as distâncias entre as grandes cidades do Irã  são bem maiores do que entre as cidades da Europa por exemplo. Por isso, você terá a oportunidade de ver muitas paisagens e entrar em contato com o modo de vida das pessoas dos vilarejos.  Mas para quem não está a fim de pegar horas de estrada, é possível encontrar passagens aéreas a preços razoáveis, por exemplo de Teerã a Shiraz por cerca de 50 dólares.

6. Que tipos de roupas mulheres e homens devem usar no Irã?

Mulheres devem usar roupas folgadas, que não sejam transparentes e que cubram todo o corpo e um lenço cobrindo os cabelos (não precisa cobrir o rosto nem as mãos). Não há restrições de cores, porém vermelho, laranja e rosa ou similares devem ser evitadas durante ocasiões formais ou datas religiosas. O preto não é obrigatório, assim como o chador também não é, exceto nos locais sagrados. (Veja mais informações no post: Viajar para o Irã, o que as mulheres devem saber)
Para os homens, nada de camisas transparentes também, nem camisetas regatas e nem bermudas. Eles podem usar camisetas sem restrição de cor, sandálias também estão liberadas, mas por causa do calor é recomendável usar sempre filtro-solar!

7. Quais são as altas e baixas temporadas de turismo no Irã?

Geralmente a maioria dos turistas viaja para o Irã durante dois períodos: do começo de Março ao final de Maio (primavera) e do começo de Setembro ao final de Novembro (outono).Algumas semanas antes ou depois do Ano Novo, também é uma ótima época para visitar o Irã. Também, a melhor época para visitar o Sul do Irã (costa do Golfo Pérsico e ilhas) é durante Janeiro e Fevereiro, mas estes meses também são recomendáveis para quem gosta de neve e ski no norte do país onde a temperatura vai abaixo de zero e as montanhas estão cobertas de neve.

8. Qual é o fuso-horário do Irã?

GMT + 3:30 (+6h30 Brasília) (GMT + 4:30hs de 20 de Março a  21 de Setembro).

9. Qual é a voltagem elétrica no Irã?

 220 Volts AC, 50Hz. Os plugs são do tipo dois pinos redondos. Se você tem algum aparelho com voltagem 110, como barbeador, secador de cabelo, carregador de celular, é melhor carregar um adaptador de voltagem na sua mala. É óbvio que eles exitem no Irã, mas para evitar ter que sair procurando por um aí é melhor ter o seu próprio.

10. Como sãos os serviços de comunicação?

Serviços de DDI são disponíveis, o código do país é  98 (insira o código de saída 00 antes do código do país). Para ligações locais, você pode usar as cabines telefônicas amarelas e marcadas em inglês. Também há cartões telefônicos tanto para chamadas locais quanto internacionais.

11. Quais operadoras de celular funcionam no Irã?

O sistema é GSM 900, portanto se você tiver um celular de qualquer outro lugar do mundo, ele não funcionará no Irã, a não ser que a sua operadora tenha feito um contrato com  Iranian Telecommunication Company (ITC). Porém é fácil e barato conseguir um chip de uma operadora local e pedir para o dono da loja instalá-lo em seu celular, provavelmente você precisará de uma cópia do seu passaporte e um endereço de referencia no país (hotel serve).

12. Existem serviços de fax nos hotéis?

Sim, você pode encontrar serviços de fax na maioria dos hotéis e agências dos correios no Irã.

13. Há internet banda-larga no Irã ?

Na maioria dos hotéis há serviço de internet banda-larga, e também "com ajuda de alguns guias de viagem como o Lonely Planet é possível encontrar alguns estabelecimentos que oferecem internet por hora nas principais cidades do Irã. No entanto ainda é frequente a internet 'cair' em alguns períodos e redes sociais como o Facebook, blogs e o Youtube ainda são censurados. Os teclados (em inglês-persa) possuem teclas em posições distintas das quais estamos acostumados e não há acentuação"(Fonte: Blog Coordenada XY). A maioria dos usuários aposta nos anti-filtros para conseguir acessar esses sites bloqueados em suas residências, porém a velocidade da conexão para baixar vídeos e fotos da internet é outro desafio. 

14. Qual é a velocidade de entrega dos correios no Irã?

Correspondências do Irã para Europa, Canadá e EUA podem demorar duas semanas. Para outras partes do mundo até 1 mês!

15. Que produtos é  proibido enviar para o Irã?

1) Narcóticos e laxantes, 2) Materiais explosivos, radioativos e inflamáveis ou outros que representem perigo, 3) Material pornográfico ou contra a moralidade islâmica, 4) Animais vivos exceto mel de abelha, sanguessugas, bichos-da-seda, parasitas e insetos registrados por institutos de pesquisa, 5) Produtos proibidos de entrar no país de destino 6) Itens que possam ser perigosos de transportar  para os funcionários das companhias postais 7) Documentos pessoais entre pessoas que não sejam da mesma família.

16. É possível mandar cartões postais sem envelope?

Sim. Se os postais forem feitos de papel resistente ou cartão sem nenhum relevo e desde que  nome e endereço do remetente e recebedor estejam escritos no verso do postal.

17. Existe algum jornal iraniano disponível em inglês?

Sim, a vários periódicos disponíveis em inglês. A maioria deles podem ser encontrados nos salões de espera dos grandes hotéis.

18. Qual é a moeda iraniana?

É o Rial Iraniano (IR). As cédulas de rial são disponíveis em  20,000, 10,000, 5000, 2000, 1000, 500, 200 e 100. As moedas em  500, 250, 100, 50, 20, 10 e 5. Ás vezes os preços são marcados em  Toman, que é o equivalente a 10 rials. A maioria dos estabelecimentos usa preços em Tomans ao invés de rials, portanto, para os turistas vale a pena perguntar a quantia exata em rials para não se confundir. A taxa de câmbios normalmente varia diariamente,  mas você pode trocar dólares ou euros por rials (1 dolar vale aproximadamente 25.000 rials).

19. São aceitos cartões de crédito no Irã?

Cartão de crédito é um instrumento inútil no Irã, mesmo nos hotéis. É recomendável que se leve o cartão de crédito para o local da conexão, por exemplo, Turquia. Alguns comerciantes iranianos aceitam cartão mediante a transação por algum país árabe. Aí vale uma dica: antes de viajar para países estrangeiros, deve-se telefonar para a operadora e indicar que poderá estar em outros países do Oriente Médio.

20. É seguro viajar pelo Irã com cédulas de dinheiro em espécie?

Sim, é bastante seguro. Mas como em todo lugar sempre é necessário tomar cuidado com o dinheiro que carrega com você.  Outra alternativa (que descobri recentemente) é se você tiver algum amigo ou parente iraniano de muita confiança, poderá utilizar um cartão emprestado durante o período da viagem. 

21. Os preços são mais baixos ou mais altos no Irã?

Felizmente, os preços da maioria dos artigos que os turistas procuram são relativamente baixos. Itens como livros bem editados, artesanatos,  roupas, refeições e transporte tem realmente preços baixos mas ótima qualidade.

22. O que é proibido levar  na viagem para o Irã?

Bebidas alcoólicas, narcóticos, armas e munição, produtos agrícolas e incluindo sementes e terra; câmeras áreas, aparelhos transmissores e receptores, material pornográfico, DVDs, fitas K7  e CDs e revistas de moda.  No caso de ser extremamente necessário carregar armas e munição (turismo de caça)  obtenha permissão por meio de sua agência de viagens de antemão.

23. O que é proibido trazer do Irã?

Objetos antigos com mais de 100 anos e ouro, prata e jóias em grande quantidade.

24. Quais são os dias úteis e os dias de folga no Irã?

Os dias úteis no Irã são de sábado à terça-feira. Os dias de folga são às quintas e sexta-feiras e feriados nacionais. Às quintas-feiras alguns estabelecimentos fecham e alguns permanecem abertos até a metade do dia (como nosso sábado). 

25. É comum dar-se gorjetas no Irã? Em que lugares?

Sim. É comum dar-se gorjetas para porteiros e funcionários nos hotéis, porteiros em aeroportos, garçons e garçonetes nos restaurantes, condutores e guias turísticos. 

>>Confira mais dicas nos posts sobre Viagem aqui no blog!

(Baseado em Destination Iran)


Andy - Madaram

Uma canção super emocionante, Madaram ("Minha mãe") na voz do astro Andy Madadian.


Cinema Iraniano: E Buda Desabou de Vergonha

FILME DO MÊS: No Afeganistão, após a queda do Taliban, as meninas ainda tem que lutar para ir a escola e os meninos aprenderam a brincar somente de guerra.


Em meio às ruínas dos monumentais Budas de Bamyan, destruídos pela milicia Taliban em 2001 milhares de famílias lutam para sobreviver. Bakhtai, uma garotinha afegã da etnia hazara, de 6 anos fica obcecada com a ideia de ir para a escola ao ver o garoto Abbas que lê em voz alta na frente da caverna vizinha onde ela vive. Mas ela pertence a uma sociedade marcada pelos anos de opressão do Taliban incluindo o machismo, guerra, pobreza e alienação das crianças que brincam de guerra o tempo todo. Primeiro ela tem o desafio de conseguir algum dinheiro para comprar seu precioso caderno vendendo ovos no mercado, mas como não sobra dinheiro para o lápis, ela pega o batom de sua mãe para escrever. Finalmente à caminho da escola, ela é importunada por um bando de garotos que brincam de Taliban lutando contra os americanos, imitando a terrível realidade da guerra que eles testemunharam.   
Eles assustam Bakhtai e até mesmo rasgam as páginas de seu caderno, confiscam o seu batom, colocam ela dentro de uma caverna com um saco de papel em sua cabeça junto com outras meninas e ameaçam até mesmo a apedrejá-las. As cenas realmente são chocantes, especialmente quando a menina implora: "Em nome de Deus, deixem-me ir à escola". 
E Buda Desabou de Vergonha foi escrito e dirigido pela jovem diretora Hana Makhmalbaf, filha de Mohsen Makhmalbaf e irmã mais nova de Samira Makhmalbaf. Sobre o país onde dirigiu seu primeiro filme documentário ela relata: 
"O Afeganistão é um país estranho. Em um período de 25 anos, experimentou muitos governos; os russos comunistas,  a Al-Qaeda, os extremistas islâmicos do Taliban e os cristãos-laicos do ocidente. Cada um desses governos a fim de livrar o Afeganistão da hegemonia do outro iniciou guerras e destruiu este país. Hoje em dia, a destruição do Afeganistão não está limitada somente a cidades e casas. As crianças deste país em suas brincadeiras, atiram uma nas outras com armas de madeira e brincam de apedrejar menininhas e colocam minas debaixo dos pés dos outros dando risada. Como será o futuro destas crianças que brincam de guerra como adultos?" ( Fonte: Makhmalbaf Film House)

E Buda Desabou de Vergonha (2007) 
Irã | Documentário | 81 min.| cor
Direção: Hana Makhmalbaf
Título Original: Buda az Sharm Foru Rikht 
Título em inglês: Buddha Collapsed out of Shame
Elenco: Abbas Alijome, Nikbakht Noruz, Abdolali Hoseinali