HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Cinema Iraniano: O Silêncio

FILME DO MÊS:
"Não fales mais sobre o que aconteceu ontem. Não te preocupes com o que acontecerá amanhã. Não confie no futuro nem no passado. Viva o presente, não desperdice tempo." - Omar Khayyam


Khorshid (sol em persa) é um garoto cego que vive com sua mãe em uma casa perto de um rio no Tadjiquistão. Todos os dias, o proprietário da casa vem cobrar pelo aluguel. Khorshid tem que conseguir  o dinheiro, ou então ele e sua mãe serão despejados. Por ser cego, o garoto possui uma incrível sensibilidade para sons e por isso ele trabalha em uma oficina afinando instrumentos musicais. O único problema é que Khorshid é fascinado por sons e no caminho para o trabalho, sempre que ouve uma bela canção,  perde a noção do tempo e do lugar. Isso faz com que ele sempre chegue atrasado ao trabalho e receba broncas e puxões de orelha do seu chefe, um velho ranzinza. 
"O Silêncio" pertence a série de filmes poéticos do diretor Makhmalbaf, onde ele abandona a narração clássica e mostra alguns de seus temas favoritos usando o simbolismo da tradição Sufi. O  uso da música para alcançar o êxtase, a natureza, o espelho quebrado, a imagem repetida do rio, assim como a luz que vem de cima,  são  representações simbólicas de interpretações místicas do Islã  que surgem no decorrer do filme.  O espelho quebrado é um ícone emprestado da poesia de Rumi, que representa apenas uma parte da verdade. Todo mundo possui uma parte do espelho, ou seja, somente uma parte da verdade, mas acha que a tem toda. 
No Festival de Veneza, Makhmalbaf declarou: “O filme faz referência à minha infância. Minha avó que era muito religiosa sempre me dizia: se você ouvir a música, você vai para o inferno. Ela me fazia colocar os dedos no ouvido quando saía pela rua, para não escutar nenhuma música. Era para o meu próprio bem. A primeira música que escutei foi a 5ª  Sinfonia de Beethoven, e fui profundamente afetado pelo esplendor da peça. Desde então, as quatro notas ficaram em minha mente, como um poder magnético da música. Um ferreiro que trabalhava para nós disse que um dia, enquanto estava no ônibus, tinha tentado seguir um dos passageiros, pois se sentiu atraído pela música que ele estava a ouvir e se perdeu. Foi assim que eu tive a ideia para o filme” (Fonte: TELA TUDO Clube de Cinema)

O Silêncio (1998)
Irã, Tadjiquistão, França| Drama, Musical | 76 min.| cor
Direção: Mohsen Makhmalbaf
Título Original: Sokout
Título em inglês: The Silence
Elenco: Khorshid Narmatava, Nadereh Abdollahyava, Saadat Bouyava, Araz Mohammad Shir Mohammadi, Golbibi Ziadollahyava, Hakem Ghasem

>> Legendado em inglês



4 comentários

  1. Oi, Janinha! Então temos filme novo?
    Amanhã à tarde, farei um chá de melissa e me perderei pela Pérsia...
    Como não sou boba, já tirei uma casquinha.
    Aquela forma peculiar de amarrar o lenço, faz parte de minha infância na roça. Era um acessório indispensável.

    Até lá. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cris! Espero que tenha aproveitado a sessão saboreando um delicioso chá! As roupas e as tranças das meninas desse filme são um espetáculo a parte. Os tadjiks são um povo lindo! Ah, depois me fala o que achou do filme...
      Beijão!

      Excluir
  2. Salam, flor de lima da Pérsia!

    Jana Jan, vou assistir pensando nas palavras de Omar Khayyam.
    Também me inspirei novamente....e escrevi mais um poema...
    Depois venha ao meu Oásis e traga-me um pouco de teu chá, que adoça a minha vida,
    beijos,
    Denise Bomfim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam, alma poética do Golfo!
      Obrigada por sua presença aqui no nosso cinema iraniano! Com certeza esse filme te servirá de mais inspiração!
      Beijos do jardim de Shiraz!

      Excluir