HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

O adeus à Asal Badiei

Asal Badiei (Teerã, 1978 - 2013)
Há muitas personalidades iranianas que talvez nunca ouvimos nem ouviremos falar aqui no Brasil. Mas essa semana um fato chamou a atenção da mídia do Irã: a morte da jovem atriz e modelo Asal Badiei, por parada cardíaca nesta terça-feira no Hospital Loghman de Teerã, aos 36 anos. Segundo o site Payvand, a causa da morte teria sido uma overdose de remédios. Seu funeral foi adiado para hoje por causa do feriado de Nowruz.
Asal Badiee nasceu em Teerã, em 1978 e estreou sua carreira no cinema em 1996 com o filme  Boodan ya Naboodan ("Ser ou não ser") e foi indicada na categoria de melhor atriz coadjuvante por sua atuação em  Dasthay-e Aloudeh ("Mãos Sujas") no Festival de Cinema Fajr, 2000. Ela deixa um filho de 13 anos que teve com o ator Fariborz Arabnia com quem foi casada.
Eu confesso que também nunca tinha ouvido falar desta bela iraniana de rosto tão marcante e fico triste ao divulgar esse tipo de notícia. Deixo com vocês as cenas de Be Salamat Banu, o último filme da  atriz cuja tradução do título ironicamente é "Adeus, senhora".


19 comentários

  1. Salam, Jana Jan!

    Que pena uma atriz tão jovem morrer assim...Mas a obra dela ficou.
    Que expressivo é o olhar dela!
    Mas Allah Aalam.

    Bom fim de semana.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam azizam Denise!
      Uma pena mesmo! Mas achei por bem destacar porque apesar de quase não ouvirmos falar dela, tem um lugar especial no coração dos iranianos.

      Jumma mubarak!

      Bause!!

      Excluir
  2. Para mim, isso é especialmente chocante porque estou trabalhando num projeto de ficção ambientado no Iran, antes do surgimento da primeira dinastia persa. Se trata de um longo romance, com muitas pinturas numa apresentação flash com animações trilha sonora e referências cruzadas para quadros explicando termos que aparecem no texto. Queria, com esse trabalho, homenagear e divulgar a maravilhosa cultura do Iran no Brasil. É minha intenção usar a imagem de atrizes e atores iranianos para pintar cada personagem nas ilustrações e justamente a atriz Asal Badii eu tinha escolhido para ser minha protagonista, em 3 de março de 2011, logo depois de ver Boodan Ya Naboodan no You Tube. Veja um comentário sobre isso neste post do Orkut:
    http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=927895&tid=5559334389261215144&na=3&npn=20&nid=927895-5559334389261215144-5579024525095806376

    Durante todo esse tempo, o rosto dela esteve em minha mente, cada vez que imaginava as cenas de minha história. Sempre foi Asal a incorporar as imagens que habitam minha mente nos últimos anos. Eu tinha a fantasia de terminar esse trabalho, traduzir para o persa, publicar e ter o prazer de presentear a ela, algum dia... Mas isso jamais acontecerá... Ela se foi.

    Não obstante, para todos os iranianos que a amam eu anuncio: agora meu estímulo para terminar esse projeto o mais rápido possível ficou ainda maior. Darei tudo de mim para produzir a homenagem mais sublime de minha vida. Em vez de ser esquecida, farei o que puder para fazer muitas outras pessoas conhecerem Asal e a amarem como eu. Não sei direito porque a escolhi quando estava procurando a face de minha personagem. Havia muitas outras atrizes bem mais belas que ela, mais famosas que ela... No entanto... Teve que ser ela... Não entendi porque, na época, mas agora creio que possa ser destino, ou algo parecido...

    Quanto mais eu descubro quem ela era, mais eu a amo e a vejo como heroína não apenas da minha ficção, mas da vida real também. Além de seus órgãos doados terem salvo as vidas de várias pessoas. A comoção nacional causada pela morte e história dela fez o número de adesões de potenciais doadores de órgãos saltar de 300 por dia para 16.000 por dia no Iran! Vejam:
    http://www.yjc.ir/en/news/789/organ-donations-boom-after-asal-badiee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Fereydoun! Que maravilha de comentário! Me emocionei de verdade! Acredito que esse sentimento que você tem pela Asal Badiei e não consegue explicar, é o mesmo que eu tenho pelo Irã, um país onde ainda não estive, mas que está na minha mente e me inspira em todos os momentos. E que projeto mais original você está a executar! Espero que seja muito bem sucedido, e eu quero muito vê-lo quando estiver pronto. Confesso com tristeza que não conhecia nada sobre essa bela atriz, até ler a notícia de sua morte nas minhas fontes de pesquisa. Eu poderia deixar passar despercebida, mas não sei porque, senti necessidade de postar. Mas eu nem fazia ideia da comoção que a partida ela tinha causado aos iranianos Agora com essa menção da doação de órgãos, fiquei realmente comovida! Asal Badiei partiu mas o que ela deixou é grandioso!

      Excluir
    2. Salam, Janaina. Mas não vá achar que sou escritor profissional ou que sou iraniano. Fereydoun Rustan é apenas um pseudônimo que adotei, em 2007, para assim assinar todos os projetos em minha mente à partir de então. São nomes de duas personagens mitológicas que tenho afinidade. Sem querer me comparar, mas pelas mesmas razões, eu escolhi esse pseudônimo inspirado no escritor brasileiro Júlio César de Mello e Souza, que sempre foi amante da cultura árabe e que usava o pseudônimo Malba Tahan.

      Encontrei este seu blog há poucos dias e estou maravilhado com todo o material que você tem aqui! Eu também sou um fanático admirador do povo iraniano, sua mitologia e sua História. Essa admiração começou em 1980 (você ainda nem nascera), quando eu ouvi um de meus tios conversando com meu pai sobre a guerra Iran/Iraque e sobre a infeliz aventura da União Soviética no Afeganistão.

      Fiquei estupefato ao saber que dois povos irmãos, mesmo tão pobres e praticamente sem ajuda de ninguém, tinham a coragem de enfrentar potências militares como aquelas. Desde então, me transformei em um entusiasta e passei a procurar desesperadamente, em tudo que é biblioteca, informações sobre aquelas duas guerras santas (no sentido mais genuíno da palavra) e sobre os povos que a estavam suportando. Fiquei cada vez mais assombrado com o absurdo desequilíbrio de forças. Achava que Iran e Afeganistão eram nações condenadas. Mas a década de oitenta foi acabando, o Afeganistão não caía, o Iran também... E eu cada vez mais atônito. Por fim, o Iran, mesmo contra todas as probabilidades, invadiu o Iraque e forçou Sadam a se render incondicionalmente.

      Por outro lado, quase na mesma época, as tropas soviéticas no Afeganistão se retiraram, deixando a glória aos valentes mujahedim do inesquecível heroi Ahmad Shah Massoud. O mesmo heroi que passaria toda a década seguinte combatendo os talibans. Se Massoud não fosse assassinado em 2001, dois dias antes dos Ataques de Sete de Setembro, provavelmente o taliban teria durado muito menos e Bin Laden também.

      Janaina, fico feliz em achar outra brasileira que partilha desse interesse meu. O material que você tem aqui é fantástico! Eu também tenho muitas coisas que você pode adorar incluir aqui. Creio que ainda vamos "trocar muitas figurinhas". Manteremos contato e você certamente estará entre as primeiras pessoas que entrarão em contato com meus trabalhos, tão logo eu tenha algo que possa publicar.

      Fico muito contente em conhecer mais uma pessoa muçulmana. Sou cristão fervoroso, porém, tenho uma admiração, afinidade e amor imensos pelo Islam. Que Deus (Clemente e Misericordioso) a abençoe e inspire sempre. Salam Aleikum!

      Excluir
  3. Janaína, vendo melhor algumas de suas aulas aqui, percebi que cometi um deslize! Eu disse "Salam Aleikum" (que é pode na despedida ou saudação), quando deveria ter me despedido com "Khodâhâfez". Mas eu queria realmente me despedir com "a paz esteja sobre ti"... Haveria uma frase equivalente em persa para essa expressão árabe que também significasse a mesma coisa? Pergunto porque "Khodâhâfez" (خداحافظ) significa tão somente o nosso italiano abrasileirado "tchau", que é bem informal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fereydoun, agradeço por desejar me a paz também na despedida! Você também pode dizer Dorûd bar shomâ, que é uma expressão genuinamente persa para a "paz esteja sobre ti"...
      Na verdade a exprssão Khodâhâfez é perso-árabe e significa "Deus te proteja". É o equivalente e não uma tradução do nosso tchau informal. Ok?

      Excluir
  4. Muito obrigado! Então é "Dorûd bar shomâ"? Vou tentar memorizar.Então aqui fica o meu درود بر شما

    ResponderExcluir
  5. Eu sabia! Finalmente consegui! Um dos filmes mais comoventes de Asal Badii em alta resolução e com legendas em inglês! Antes eu tinha visto ele sem legenda alguma. Era preciso adivinhar do que se tratava cada diálogo. Mas agora posso entender tudo e ainda baixar em HD! Estou quase chorando!

    http://www.youtube.com/watch?v=-ZGJ2MeSGeA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dorud Fereydoun, herói do Shahnameh! Parabéns pelo achado! Essa sua admiração pela Asal Badii me emociona de verdade! Vou assistir esse filme amanhã mesmo!

      Grande abraço!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Janaina, esse filme é uma tempestade de emoções! A atuação da Asal (para uma estreante) é muito natural, convincente, envolvida! Eu gostaria muito de saber como esses diretores iranianos arrancam isso de atores e atrizes sem preparo acadêmico profundo! No caso das crianças, é até fácil imaginar eles escondendo câmeras e deixando acontecer situações criadas de modo que as crianças acreditem que é algo sério, real... Mas e no caso desse filme? Você não nota nem um mísero segundo de afetação ou artificialidade nos olhares, nas falas, nas perdas de fôlego, nos choros da protagonista! Lamento tanto não terem bons equipamentos para filmar Boodan Ya Naboodan com melhores imagens e sons!

      E aproveito para deixar para você (se é que ainda não conhece) mais um site muito bom e bem organizado que é um manancial gigantesco de informações interessantes para adicionar aqui:
      http://www.heritageinstitute.com/zoroastrianism/

      Excluir
  6. O site que eu recomendei acima é tão importante que eu baixei ele inteiro para consulta off-line. É uma verdadeira enciclopédia. Quase completo! Se alguém quiser o arquivo, é só fazer o download abaixo. O peso é grande (100Mb), mas vale a pena.

    http://www.mediafire.com/?svs6tnx7kaoi826

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Fereydoun! Sempre caprichando nas contribuições! Eu já conheço esse site sim, também fiquei admirada com a quantidade de informações interessantes... Aliás já usei ele como referencia do post sobre o artesanato Termeh. Mesmo assim valeu por lembrar, vou adicioná-lo à pagina de links. Quando der vou baixar o arquivo também. Muitíssimo obrigada!

      Excluir
  7. Um pouquinho do legado de amor de Asal Badii deixado a alguns dos muitos semelhantes que precisavam. Descobri isso pesquisando e traduzindo mensagens da família no Facebook:

    • 14 de abril - Pulmões (uma garotinha de 14 anos);
    • 17 de abril - Coração (um homem de 36 anos);
    • 15 de março - Fígado (um rapaz de 24 anos).

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus! Só agora eu bati os olhos acidentalmente e vi que escrevi "Ataques de Sete de Setembro"! Raios! Adiantei a tragédia em quatro dias! o general Ahmad Shah Massoud foi assassinado em 9 de setembro e os ataques aconteceram dois dias depois.

    ResponderExcluir
  9. Fotografias Raras de Asal Badiee (تصاویر نادر عسل بدیعی)
    Estou colocando essas imagens aqui porque o site de onde obtive a maioria delas não está mais no ar. São fotos muito bonitas, bem melhores que as que encontramos quando fazemos buscas no Google.

    Todas as fotos aqui همه عکسها در اینجا:
    http://www.mediafire.com/folder/uyd2dfg3192pi/Fotos_de_Asal_Badiee

    ResponderExcluir
  10. Diretamente em meu blog:
    http://fereydoun-shah.blogspot.com.br/2013/06/fotografias-raras-de-asal-badiee.html

    ResponderExcluir
  11. Asal Badii agraciada com a homenagem póstuma "Embaixatriz da Paz", no Iran, nesta semana. Seu pai Farokh Badii, ainda em trajes de luto, compareceu para receber o troféu.

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=509694882432631&set=a.509695452432574.1073741833.450515988350521&type=1&theater

    ResponderExcluir