HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

A Difícil Tarefa de Dizer quem Somos Nós

Salam amigos da Pérsia! No post de hoje vou trazer algumas pérolas do meu diário-de-bordo da amizade Brasil e Irã. E no nosso chá de hoje, a pergunta é: Quem somos nós e afinal, qual a imagem que nós brasileiros passamos para os iranianos? Para tentar responder a essa questão, vou começar falando de mim, afinal quem sou? Uma brasileira apaixonada  pelo Irã, que ainda não esteve no Irã mas está o tempo todo com o Irã. Nos chats com amigos do Irã, tentando aprender o idioma persa ou assistindo filmes e documentários sobre este país. Nas redes sociais papeando com amigos e amigas brasileiras apaixonados pelo Irã ou por alguém de lá. Assim não se passa nem sequer um dia em que eu esteja longe do Irã, há pelo menos uns 2 anos... Então nem preciso dizer por quais razões gosto tanto de manter este blog...
Agora vocês devem estar se perguntando: o que eu falo de nossa brava gente para os iranianos? Como passo a imagem de uma brasileira para eles? É o seguinte, o que vou falar agora se trata da minha experiência pessoal. Com certeza a sua impressão sobre seus amigos iranianos pode ser muito diferente da que eu descrevo aqui. 
Em primeiro lugar parece bobagem dizer isso, mas eu não ando hejab por aí como vocês estão vendo na foto do meu do perfil do blog e também não sou praticante da religião islâmica. Então a imagem que os meus amigos iranianos tem de mim quando conversamos por webcam geralmente é a mais natural possível. Mas quando falo que sou do Brasil, sempre fico na expectativa de algumas perguntas clichê do tipo: você sabe dançar samba? Você gosta de funk? Tem foto sua na praia? O Cristo Redentor é perto da sua casa? Quando a galerinha do Oriente Médio e adjacências abre seu leque de indagações normalmente reajo com calma e bom-humor, mas pode crer que tem vezes que fico brava pra valer! Até que com os iranianos isso não é sempre necessário. Normalmente sou eu que os assusto ao esclarecer que a realidade do Brasil não é tão cheia de purpurina, lantejoulas e penas de pavão como alguns deles pensam. Por exemplo, meu amigo Sadegh (nomes foram trocados neste post) disse: Queria tanto ver o carnaval de perto, eu vi no canal da BBC que é lindo! Eu respondo: Euzinha moro no Brasil desde que nasci e nunca fui ver o carnaval de perto...Eu tenho o direito de ser brasileira e não gostar de carnaval, não tenho? Tadinho, ainda tive que desiludi-lo que o desfile das Escolas de Samba não é de graça e nem no meio da rua como ele pensava. Até falei sobre os numerosos carnavais de rua populares que existem Brasil afora, mas que não eram grandes espetáculos de alegoria como o que ele tanto queria ver... (Tsc, tsc... imagine a cara de tacho...)
Alguém deve estar pensando que eu sou do tipo de brasileira que adora falar mal do nosso país, né? Mas não é bem assim... Por exemplo, o Sadegh adora reclamar da situação política do país dele, mas quando tentei expor para ele o que a mídia ocidental mostra, ele se transfigurou em um patriota inflado dando o maior sermão do mais genuíno orgulho persa! Da mesma forma eu insisto fortemente que o nosso país não é uma festa na laje no domingão. Falo logo que aqui também, existe fome, miséria, violência e corrupção (experimente perguntar para um iraniano o que é uma favela, ele provavelmente não sabe ou nunca viu uma!). Mas também gosto de falar da vastidão da nossa natureza e da nossa diversidade cultural ímpar e que eu me sinto muito feliz por ser parte dessa maravilhosa maçaroca de povos do mundo inteiro! Porque da mesma forma que me entristece os estereótipos sobre os iranianos serem chamados de terroristas, fico indignada com a visão que muitos estrangeiros têm de nós brasileiras como "mulheres cartão postal". 
Se bem que a maioria dos iranianos com quem converso não sabe absolutamente quase nada sobre o Brasil, exceto a escalação inteira da seleção de todas as copas...  São poucas as insinuações marotas como a de meu amigo Ershad que disse: Ouvi dizer que as mulheres brasileiras são muito bonitas, é verdade? E eu respondi brincando: Eu ouvi falar o mesmo das iranianas! Aliás ouvi falar dos iranianos também, hehe... Ershad diz: E eu, o que você acha de mim? Aí aproveito para tecer elogios sobre a cultura do colega e puxar a sardinha sobre o meu blog. A gratificante resposta que tenho quase sempre é: Obrigado por mostrar a cultura do meu país! Venha para cá nos visitar!

Eis uma seleção de algumas pérolas desses preciosos diálogos com amigos iranianos (todos os nomes foram trocados para evitar confusão):

Samira: todas as brasileiras são simpáticas e alegres como você? 
Eu: Não, eu sou a mais triste e antipática... (Sorriso)

Mohsen: O que você acha do presidente do meu país? 
Eu: Não sei, eu não vivo aí no Irã. Aliás, o que você acha da minha presidente?

Homan: As garotas que desfilam nuas no carnaval são boas ou más pessoas?
Eu: Elas são muito beeeeeeeem pagas pra isso...

Ahmad: Eu vi um vídeo na internet sobre o Rio de Janeiro e fiquei encantado! Se eu pudesse dar uma cor para esse lugar seria vermelho!  
Eu: Vermelho é a cor que você vai ficar se for para lá sem bloqueador solar! (o garoto mora na cidade mais fria do Irã, oras...)

Kurosh: Você quer vir morar aqui no Irã e se casar com um iraniano?
Eu: Opa! Você está se candidatando?!

Abbas: Ouvi falar que aí no Brasil os homossexuais são livres. Eu queria tanto ver um deles de perto... 
Eu: Hmmm... Acho que eles também vão querer te ver de perto, seu lindo!

Eu começo a pensar que se tem alguém que pensa no Irã toda hora, a cada minuto pesquisa alguma coisa sobre as terras da Pérsia, pra dizer o quanto a ama...  Essa pessoa sou eu! Bem amigos do Chá-de-Lima, espero que tenham gostado desse momento descontraído de sexta-feira! 

Abraço carinhoso e continuem ligados neste blog de amor, amizade e respeito Brasil e Irã! 


18 comentários

  1. Janaína, parabéns pelo seu blog. Imagino o trabalho que tenha tido, e ainda esteja tendo, em manter essa página virtual tão repleta de artigos, matérias, vídeos e informes sobre o Irã, seu povo, seus costumes, sua cultura, suas artes e sua história. Adorei cada post que li, sinceramente. Penso em conhecer aquela terra tão antiga e tão rica em cultura e sabedoria. Se realmente for para lá e tirar fotos ou fazer videos, mandarei para ti para ver se é do seu interesse. Se puder dar dicas de lugares diferentes, eu agradeço, pois pretendo fazer um documentário despretensioso (sem roteiro prévio).
    Ah, vou confessar que sou fã das iranianas, que realmente acho bem bonitas. E foi só uma coisa que não encontrei no seu blog, dicas para os homens que são a fim de mulheres iranianas. Afinal, é possível o relacionamento de um estrangeiro com uma iraniana? (olha eu aqui confessando o que homem algum jamais faria em uma página na internet...rs)
    Que o seu blog lhe traga ainda mais felicidade! Um grande abraço repleto de carinho.
    Face à confissão acima, colocarei um nome fictício, ok? rs
    Dario Filho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam querido Dario! Não sei como agradecer por suas palavras tão belas e sinceras! Imagine que este blog é feito com o maior carinho do mundo com base na minhas vivências, mas dirigido a todos que tem curiosidade em conhecer ou já são fãs da cultura iraniana! Eu tenho muito interesse sim, se você um dia quiser compartilhar o documentário que você quer fazer de sua viagem. Afinal tá faltando histórias de brasileiros no Irã aqui também, né?
      Quanto à sua segunda pergunta, eu recebi apenas 2 mensagens de homens iranianos que estão a fim de mulheres iranianas. Tenho que confessar que este é um assunto ainda mais complexo, em especial se tratando de um país islâmico onda só existe casamento religioso. Mas a possibilidade existe sim, talvez você consiga se casar com uma iraniana em outro país. Dentro do Irã é bem complicado mesmo! Prometo que ainda vou abordar esse assunto aqui.
      Sinta-se à vontade para mandar suas perguntas por e-mail na página de contato também ok? Eu também te desejo muita sorte e felicidade e mais uma vez obrigada pela participação!
      Um grande abraço!

      Excluir
  2. Salam, Jana Jan!

    Superinteressante!

    Beijão!

    Allah Hafiz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Denise jan! Superinteressante é ver seus comentários aqui!

      Khoda Hafez!
      Beijão!

      Excluir
  3. Muito bom!!!!
    Acho que fiquei fã do seu blog... rsrss
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Isa! Muito obrigada pelo carinho!
      E eu sou fã de todos que compartilha do amor pela cultura iraniana comigo!
      Bjs!

      Excluir
  4. Oi Janinha!
    Que post maravilhoso! Adoro cotidianos, conversas informais.
    Realmente o Brasil lá fora é o Rio. E aqui no interior de SP é tão diferente... não temos quase estrangeiros, nem favelas, pouca violência, maior pudor, carnaval e futebol são pouco intensos.

    Será que somos meio "iranianos" aqui?
    Beijinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Cris!
      Estou adorando receber tantos comentários carinhosos, me deixaram mal acostumada rsrs... Então assim como aqui, o Irã da capital é bem diferente do Irã do interior, mas ainda percebo que sobre o Brasil a informação deles é pouca ou quase nenhuma. Esses exemplos que citei aqui são só os meus conhecidos. De qualquer jeito amo muito esses diálogos! Aprendo todos os dias com eles!
      Um beijo para você e para os meio "iranianos" do leste paulista!

      Excluir
  5. Adorei mesmo esse post, meu amigo iraniano também solta umas perolas,chega até ser engraçado !! Pois ele não conhece muito os brasileiros, não gosta da nossa seleção de futebol haha e nos acha meio maluquinhos (vê se pode?!!).Ele me disse ate que gostaria de aprender a dançar quando viesse aqui hahaha,e também já me contou todo sem graça que um gay sentou ao lado dele no onibus como se fosse a coisa mais anormal do mundo(pleo menos pra ele é). Enfim continue com suas postagens pois são ótimas ! beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Pah, muito obrigada! Eu também acho muito engraçada essas pérolas, agora ouvir que um iraniano não gosta da nossa seleção foi uma pérola raríssima hein! Fala pra ele que eu mandei dizer: se ele nos acha maluquinhos, nós achamos eles malucões! hehehe
      Se ele vier pra cá, filma esse momento de ele aprendendo a dançar e manda pra gente, combinado? E olha só essa, um dia eu falei para uma amiga de Teerã sobre a parada gay e ela perguntou:"e as autoridades não fazem nada pra resolver isso?", então amiga esse assunto é muito tabu na cultura deles.
      Um beijão e ótimo domingo!

      Excluir
  6. Seu blog é sensacional, não paro de ler desde que cheguei aqui! hehehe ^_^ Parabéns de novo!!

    Eu simplesmente amo ver interações interculturais. Desmistificar aquilo aquilo que a televisão mostra, tanto de um lado quanto do outro, se conhecendo cada vez mais, é lindo isso, lindo!

    "Abbas: Ouvi falar que aí no Brasil os homossexuais são livres. Eu queria tanto ver um deles de perto...
    Eu: Hmmm... Acho que eles também vão querer te ver de perto, seu lindo!"

    MELHOR RESPOSTA EHAUHEUIAHUEIHAUIHEUIAHUIHE CHOREI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam querido, nome exótico hein! Adoro ver seus comentários aqui e fico cada dia mais feliz de saber que tenho leitores tão dedicados como você. Ainda bem que estamos juntos nessa plataforma de interação e amizades interculturais.
      Se você chorou de rir com essas conversas, imagina eu! Mas me divirto muito com essa ingenuidade e curiosidade tão amigável deles!
      Abraços !!!

      Excluir
    2. HAUHUAH muito hilário!

      Mal conheci o Chá-da-Pérsia e já tenho bastante carinho pelo blog, excelente. Meu amor pelo Irã só aumenta, a cada post!

      hehehehe o nome é complicadão mesmo, reflexo de outra paixão minha, o Egito antigo.. mas me chamo matheus

      Um abração Janaina, que continues esse belo trabalho por aqui! Salam

      Excluir
    3. acabei de descobrir que Salam é olá, e não xau, que vergonha, desculpa ehauiheuiahuie

      Excluir
    4. Hehe... Matheus! Muito prazer, adorei seu nome egípcio e admiro seu bom gosto por culturas!
      Realmente, Salam é olá e Khoda hafez é tchau!
      Vergonha por que se você acabou de aprender? ;)
      Abração! Continuo sim enquanto houver leitores tão assíduos!

      Excluir
  7. sim Jana,eu mandaria um video com certeza ele dançando seria comico,e é verdade ele detesta nossa seleção pois gosta do Messi e da Argentina hahaha! enfim o K. é super gente boa se bem que sempre evita falar sobre política,um dia desses contei pra ele sobre as plásticas no nariz e ele ficou espantado como eu sabia disso,aproveitei e mostrei o blog pra ele.Percebo que ele não tem tanta curiosidade sobre aprender sobre nossa cultura. Bjoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que hilário... já cheguei a ouvir comentários de "o Brasil não é mais aquele", mas essa de gostar mais da Argentina e Messi é novidade pra mim ;) Eu também evito perguntar sobre a parte política, acho que é uma questão muito mais complexa do que esse jogo de bandido e mocinho mostrado na mídia. Meus amigos falam que adoram o Brasil, mas nenhum deles nunca ouviu falar de coisas como capoeira rsrs. E eles também ficam de olhos arregalados quando falo que pesquiso sobre a cultura deles e ainda por cima tenho um blog!
      Beijão e obrigada por falar do meu blog para seu amigo!

      Excluir
  8. Janaína, adoro seu blog, se antes de conhece-lo já amava o Irã, agora amo mais ainda. Meu sonho de conhecer o Irã foi adiado, mais ano que vem sai, e suas postagem muito tem me ajudado a conhecer e admirar esse lindo país milenar. Muito obrigada e tudo de bom a você. Bjs.

    ResponderExcluir