HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

A Lenda do Tirano Zahhāk

Zahhāk é um  personagem da mitologia iraniana, que aparece no Avesta, o livro sagrado da religião  zoroastriana como Azi Dahaka, o filho de Angra Mainyu, o grande inimigo do deus Ahura Mazda. No Shāhnāmeh, o poema épico de  Ferdowsi, (séc. X), Zahhāk personifica o filho de um governante árabe chamado Mardāsh. A caracterização de Zahhāk como um árabe, em parte, reflete a associação mais antiga com o Dahāg dos povos semitas do Iraque, mas provavelmente também reflete o ressentimento contínuo de muitos iranianos após a conquista árabe da Pérsia (séc. VII).

Ahriman disfarçado de amigo convence Zahhak a assassinar seu pai
Zahhāk era  um jovem bonito e inteligente, mas não tinha estabilidade de caráter e foi facilmente influenciado pelos maus conselhos do demônio Ahriman,  que o escolheu como ferramenta para seus planos de dominar o  mundo. Ahriman apareceu pela primeira vez a Zahhak como um amigo bajulador, e aos poucos o convenceu de que ele deveria matar seu próprio pai e assumir o controle de suas terras. Aconselhado pelo demônio, ele preparou uma armadilha coberta com folhas em um lugar onde Mardāsh costumava caminhar e assim  Zahhāk assassinou e tomou o trono de seu pai.
Em seguida, Ahriman  tomou outro disfarce e apresentou-se a Zahhāk como um maravilhoso cozinheiro. Depois de tê-lo presenteado com muitos dias de banquetes suntuosos, Zahhāk estava disposto a dar a Ahriman o que  este quisesse. Ahriman apenas pediu para beijar Zahhāk em seus dois ombros. Mas, assim que tocou os ombros de Zahhāk com os lábios, Ahrimam desapareceu. E de repente duas cobras negras ferozes surgiram nos ombros de Zahhāk.
Zahhāk estava apavorado e não sabia o que fazer com as cobras. Elas não poderiam ser removidas cirurgicamente, pois assim que eram cortadas, outras surgiam em seu lugar. Então, Ahriman apareceu a ele sob a forma de um médico qualificado aconselhado que o único remédio era deixar as serpentes permanecem em seus ombros, e alimentá-las com cérebros humanos todos os dias, caso contrário, as serpentes se alimentariam de seu próprio cérebro!

Duas serpentes negras surgem nos ombros de Zahhak
Por isso, todos os dias os espiões de Zahhāk capturavam dois homens, e os executavam para que seus cérebros pudessem alimentar as cobras. Dois homens, chamados Armayel e Garmayel, queriam encontrar uma maneira de salvar as pessoas de serem mortas  por causa das serpentes. Então, eles aprenderam a fazer grandes refeições e foram para o palácio de Zahhāk, onde este os nomeou como cozinheiros reais. Todos os dias, eles colocavam  cérebros de ovelhas no lugar dos cérebros dos homens, e instruíam aqueles que foram salvos a fugir para as montanhas e planícies distantes.
Durante este tempo, o rei persa Jamshid, que era então o governante do mundo, através de sua arrogância perdeu o direito divino de governar. Zahhāk com um grande exército, marchou contra Jamshid, e após capturá-lo e matá-lo tornou-se o governante de todo o mundo. As duas filhas de Jamshid, Arnavāz e Shahrnavāz  foram levadas como escravas.
A tirania de Zahhāk sobre o mundo durou séculos. Mas um dia este teve um sonho terrível  em que era atacado por  três guerreiros e que o mais jovem destes o derrubou com sua maça, o amarrou e o levou em direção a uma montanha alta.  Zahhāk acordou em pânico e seguindo os conselhos de Arnavāz,  convocou os sábios e leitores oníricos para explicar seu sonho. Eles estavam relutantes em dizer qualquer coisa, mas  finalmente revelaram que o sonho significava que alguém  poderia derrubar Zahhāk de seu trono, e que se tratava de um jovem chamado Fereydun.

Zahhak ordena a captura de Fereydun
Zahhāk agora tornou-se obcecado em encontrar  Fereydun e destruí-lo, mas ele não sabia onde este vivia ou a qual família pertencia. Seus espiões iam por toda parte à procura de Fereydun e, finalmente, descobriram que ele era apenas um menino, que vivia nas montanhas do Alborz.  Os espiões seguiram a vaca de Fereydun que pastava nas montanhas, mas Fereydun já tinha fugido antes deles chegarem.
Anos depois, apareceu no tribunal de Zahhāk um ferreiro chamado Kaveh, que teve assassinados 17 de seus 18 filhos, para que estes pudessem saciar a fome das cobras por cérebros humanos. O último filho de Kaveh que tinha sido preso, ainda vivia.
Diante da assembléia Zahhāk teve que fingir ser misericordioso e libertou o último filho, mas pediu para Kaveh assinar um documento dizendo a todos quão justo e piedoso  ele era. Kaveh sabia que Zahhāk estava mentindo e então se recusou a assinar a carta. Em vez disso, ele rasgou-a em pedaços, correu para fora da corte real, e levantou o seu avental de ferreiro como um estandarte de rebelião e conclamou todos para ajudá-lo a encontrar Fereydun. As pessoas chamaram o avental de Kaveh de Darafsh-e Kaviani (Bandeira de Kaveh).

O jovem Fereydun derrota Zahhak
Logo, muitas pessoas seguiram Kaveh para as montanhas  do Alborz, onde Fereydun que agora era um jovem valente, concordou em liderar o povo contra Zahhāk. Em uma batalha, Fereydoun capturou Zahhāk sem muita resistência e libertou todos os prisioneiros, incluindo Arnavāz e Shahrnavāz.
Enquanto isso, Kondrow, tesoureiro de Zahhāk, fingiu obediência a Fereydun, mas quando teve uma chance ajudou seu antigo senhor a fugir. Quando Zahhāk soube que as filhas Jamshid  estavam ao lado de Fereydun no trono, como suas rainhas, ficou furioso e imediatamente voltou para a sua cidade a fim de atacar Fereydun.
Ao chegar em sua capital,  Zahhāk encontrou o povo fortemente reunido contra ele, e vendo que não podia mais controlar a cidade, entrou escondido em seu próprio palácio como um espião, e tentou assassinar Arnavāz e Shahrnavāz.  Mas foi impedido por Fereydun que o atacou com sua maça, mas não o matou. Aconselhado pelo anjo Sorush, ele amarrou Zahhāk  em uma caverna profunda no Monte Damavand,  onde as cobras em seus ombros, não seriam alimentadas e acabariam por devorar seu próprio cérebro. Assim, após a tirania de mil anos ", encerrou o reinado de Zahhāk.

O reinado do tirano chega ao fim
Baseado em Wikipedia e Zoroastrian Kids
Ilustrações de Parviz Kardan


Adoce o chá com seu comentário!

Postar um comentário