HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Uma Coluna de Persépolis no meio da cidade do Rio

Réplica da Coluna de Persépolis no Rio de Janeiro. Fotos por J.H.
Só hoje que fiquei sabendo da existência da Coluna de Persépolis, doada pelo governo do Irã à Cidade do Rio de Janeiro. Ela está instalada na praça Pedro II, no Bairro de São Cristóvão, próxima a outros  pontos turísticos como a Quinta da Boa Vista, o Museu Nacional  e a Feira do Nordeste.
O presente  que  é uma réplica de um monumento da histórica cidade de Persépolis, no Irã foi entregue durante a Conferência Rio + 20, mas a inauguração foi atrasada, para evitar o encontro das autoridades brasileiras com o presidente Mahmoud Ahmadinejad.
Com muita tristeza, vi uma reportagem do site de notícias Terra, antes da inauguração do monumento que   mostra em tom de escárnio e desrespeito o depoimento de um cidadão carioca que resume bem a visão do povo do brasileiro para com aquela cultura: "É a mesma coisa que mandar uma réplica do Cristo Redentor para lá, será que eles iam gostar?"
Para quem não sabe, o presente do líder iraniano que é muçulmano xiita, representa um ícone dos seus ancestrais zoroastrianos, anteriores ao Islã. Até hoje algumas celebrações e rituais desses ancestrais ainda são respeitados e fazem parte do cotidiano do Irã onde a maioria da população também segue o islamismo e respeita as tradições do passado. Portanto, qual seria o problema de enviar uma réplica do Cristo redentor para lá, se os muçulmanos também consideram Jesus um profeta?
Ironicamente a instalação urbana que representa um touro de duas cabeças,  ganhou o apelido de "praça dos cornos" pelos comerciantes locais, uma brincadeira com o formato dos chifres da escultura.  Esperamos que o monumento recém-inaugurado não seja vítima do vandalismo, pichações e depredação já que foi aceito com tanta má vontade pelas autoridades que resolveram inaugurá-lo sem nenhuma cerimônia.
Aqui seguem algumas  fotos gentilmente enviadas por meu amigo e correspondente no Rio de Janeiro J.H.

A coluna mede 9m de altura e fica no bairro de São Cristóvão
Detalhe: a figura  no topo da coluna representa um touro de duas cabeças
A curiosa silhueta da figura com chifres  
Detalhe: A constelação de leão devorando a de touro,
representa o início da primavera e verão. 
Inscrição bilingue inglês/ português com as palavras do rei persa Dário
Detalhe: Vale a pena  ler e refletir  sobre estas palavras
(Se não conseguir abra a imagem em outra guia e dê um zoom)
Queridos amigos, minha opinião é a seguinte: não importa se gostamos ou não do presidente do Irã, o monumento não está ali para nos recordar deste controverso líder político, mas sim para lembrarmos o quanto nosso país abraça todas as culturas e deve respeitar as civilizações do passado que tanto contribuíram com a história da humanidade. Você já parou pra se perguntar quantas invenções e descobertas importantes que usamos todos os dias foram legados dos persas? Mas esse será o assunto para uma próxima postagem.


23 comentários

  1. Local bem chinfrim??????? Aff... Só serveria se fosse na zona sul?

    ResponderExcluir
  2. Perdão da expressão, mas não conheço o Rio e não estou me referindo a zona ou ao bairro como Chinfrim. Mas a forma como o monumento foi instalado na praça nessa localização.

    ResponderExcluir
  3. Salam, Jana Jan!

    o lugar NÃO é chinfrim. Na proximidade há até um quartel do Exército, a praça é limpa, a Feira dos Nordestinos é respeitadíssima, pois é tradição cultural pura, o Museu Nacional é belíssimo, enfim, o lugar não poderia ser chamado de chinfrim de jeito nenhum.
    Concordo com o anônimo, pois a Zona Sul já tem muita fama e o monumento não está "jogado" como o correspondente te informou. Lamento, mas com as palavras que ele proferiu parece ter preconceito com o bairro de São Cristovão!

    Bauce.

    ResponderExcluir
  4. Salam Denise jan,
    perdão se me expressei mal, mas quem usou as palavras "chinfrim" e "jogada" não foi o meu correspondente, mas eu mesma. Não sou ninguém pra falar mal dos bairros do Rio e vi que a localização é bem frequentada por turistas, por isso se a expressões causam incômodo em respeito aos meus leitores eu as corrijo.
    Mas, naquele momento pesquisei algumas reportagens sobre a instalação da coluna e li os comentários de cidadãos afirmando que ela era uma falta de respeito, insinuando que os cariocas eram "cornos" por que o formato lembra chifres. Ou que ela deveria ser logo pichada e apedrejada igual eles fazem no Irã... Aposto que se ela estivesse "jogada" na melhor localização do Centro de São Paulo, se falassem que veio do Irã, muita gente ia reagir do mesmo jeito.

    Um grande bause!

    ResponderExcluir
  5. O local é bacana ... fica perto do centro de convenções da cultura nordestina!
    O bairro de São Cristovão é casa do time Vasco da Gama !!!

    Tomara que os vandalos não estraguem o presente recebido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal! Minha amiga iraniana esteve lá também, e surpresa de ter encontrado esse monumento e disse também que achou a cidade do Rio realmente maravilhosa!
      Também fico com medo que os vândalos que existem em qualquer lugar estraguem esse objeto de arte persa, a mensagem que ele contém é tão bela. Se todos prestassem atenção descobririam a essência deste povo que tanto contribuiu com a nossa história.

      Bause!

      Excluir
  6. Matéria legal. Existe uma tentativa de se revalorizar essa região, por causa do turismo e da Copa do Mundo. A feira do Nordeste é muito interessante, assim como a Quinta da Boa Vista e o Museu Nacional, com o Jardim Zoológico. No entanto, é verdade que o bairro permaneceu abandonado por muitos anos, antes da atual revitalização, sendo área reconhecidamente perigosa. Havia inclusive muitos assaltos e simplesmente estava fora da divulgação de turismo aqui no Rio de Janeiro, sempre focado na Zona Sul, com suas praias, teatros, shopping centers etc. Agora está bem melhor, como o Rio de Janeiro de uma maneira geral, e também mais seguro. Espero que a torre atraia turistas esclarecidos, que conheçam a História do Império Persa, que existia um milênio antes das invasões árabes. Gostei muito do Blog. E Parabéns, inclusive por acolher as sugestões dos leitores. Abraço, Raquel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Raquel, muito obrigada por seus comentários e opinião. Acolho com carinho todas as críticas porque pretendo tornar este blog uma referência sobre a cultura do Irã em nosso idioma. Eu também moro numa região considerada desvalorizada e violenta da grande São Paulo, e infelizmente aqui ninguém que eu conheço se entusiasma por cultura persa ou árabe a não ser que seja moda da novela das 8 rsrs. Sei que existem os clichês das áreas nobres com suas atrações para os gringos e classes mais altas, e fico muito feliz que essas regiões antes abandonada estejam mais seguras e atraindo turistas. Minha amiga do Irã esteve no Rio semana passada e adorou conhecer a cidade!
      Um grande abraço da Pérsia!

      Excluir
  7. A réplica foi instalada e ficou encoberta por sacos plásticos pretos durante dias, e naquele momento realmente parceia a cabeça de um animal de chifres.
    As autoridades cariocas não fizeram nenhuma publicidade do fato. Eu mesmo passei ao lado e fiquei observando sem nada entender. Não está instalada praça, mas sim em uma rótula (rotatória) tão grande que tem quatro sinais de trânsito em seu torno. Uma pena as autorides não darem o respeito necessário tanto à obra quanto à população.

    ResponderExcluir
  8. A descrição do símbolo que encima a coluna como sendo de um grifo está correta? O touro também é citado na cultura persa, e usado nas colunas. Parece que se trata de duas cabeças de touro. As descrições que achei sobre grifos são totalmente diferentes destas figuras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário Edmilson. Olhando melhor acredito que vc esteja certo sobre a figura ser um touro. Eu baseei a descrição do texto também em reportagens, mas vou pesquisar melhor aí faço a correção do post.

      Excluir
  9. Pelas afinidades do presidente iraniano, este monumento deveria ser instalado na Farme de Amoedo em Ipanema.

    ResponderExcluir
  10. Poie eu adorei esse post! E Fico muito triste por não praticarmos o respeito com outras culturas.

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Janaina Elias,


    5ª feira passada, na volta de um evento no MAST - Museu de Astronomia e Ciências Afins, peguei um ônibus para o Centro e, ele contornando esta praça, através da janela, percebi este estranho marco. A fim de pesquisar quando chegasse em casa, rapidamente, procurei por algum detalhe que me fizesse lembrar. Foquei na imagem "constelação de leão devorando a de touro" localizada na base pois logo associei a imagem semelhante vista quando assisti o Curso "Cultura e política no Irã contemporâneo" que ocorreu no mês de março/2013 ministrado pelo Prof. Dr. Paulo Gabriel Hilu da Rocha Pinto (Doutor em Antropologia pela Boston University / Professor do PPGA-UFF).
    Na tentativa de buscar informações através do Google, inseri as palavras-chaves: escultura persa praça são cristóvão. Resultou em 3 links. A do seu Blog "Chá-de-Lima da Pérsia" estava dentre as 3.
    Aproveitando o ensejo, gostaria de lhe fazer uma pergunta, por favor.


    (1) em quais cidades brasileiras se concentram as comunidades de iranianos e seus descendentes para comemorar as suas datas festivas e até mesmo para se manterem em contato, independentemente das religiões que cada um professe?
    Poderia me informar o contato das Associações, Clubes etc, por favor?


    Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Hélio, agradeço muito por compartilhar sua experiência aqui e fico feliz em saber que em meio a suas pesquisas tenha encontrado o Chá-de-Lima da Pérsia.
      Creio que não há uma quantidade expressiva de famílias iranianas estabelecidas aqui no Brasil para formarem uma associação. Veja por exemplo como é difícil achar informações sobre a imigração iraniana no Gooogle. Vejo que há um grande número de iranianos das mais variadas vertentes em São Paulo, Rio de Janeiro e Foz mas nunca ouvi falar de nenhum lugar específico onde se reúnem para celebrar suas tradições.
      Vou pesquisar mais sobre esse assunto e publicarei aqui o que encontrar. Obrigada pela participação!

      Excluir
    2. Boa noite Janaina Elias.

      Será que houve corrente migratória iraniana para o Brasil? Entendo que não. Entendo que todas as correntes migratórias para o Brasil foram motivadas por:
      (1) "propaganda", por parte do governo brasileiro, para suprir a extinção da mão-de-bra escrava como por exemplo: italiana, portuguesa, alemã, japonesa etc;
      (2) crises econômicas/bélicas/políticas em seus países como por exemplo: sírios, libaneses, chineses, coreanos, judeus, bolivianos etc,
      mas não consigo enxergar que houve período de imigração iraniana.
      Será que os que residem no Brasil constam na Estatística como refugiados, da mesma forma que haitianos, palestinos e afegãos?

      Excluir
    3. Então Hélio, até onde eu sei, a chamada "diáspora iraniana" se deu após a Revolução Islâmica em 1979, e foi acentuada na época da Guerra Irã-Iraque. Mas a corrente migratória foi maior para países da América do Norte como EUA e Canadá e alguns países europeus. Por exemplo, em Los Angeles EUA há uma grande comunidade iraniana que foi até batizada de "Tehrangeles".
      Creio que esse fenômeno migratório não se deu como no caso dos demais imigrantes citados, mas a maioria dos iranianos que vivem no Brasil está em situação muitíssimo melhor que os refugiados.

      Excluir
  12. Presente lindo! E cheio simbolismo também! A inscrição é quase uma mensagem gentil para nós brasileiros. Como uma benção.

    ResponderExcluir
  13. Eu passei de carro pelo local e fiquei encantado quando vi a coluna! Que ideia sensacional um monumento da antiguidade persa em uma praça de São Cristóvão. Não poderia ter sido instalada em outro local, pois fica próxima ao Museu Nacional. D. Pedro II teria ficado extasiado com a doação. Uma lástima esta obra tão bela ter sido deixada de lado pelos políticos e tenha recebido uma apelido infame da população pelo puro desconhecimento da arte e da história antiga.


    ResponderExcluir
  14. Eu passei de carro pelo local e fiquei encantado quando vi a coluna! Que ideia sensacional um monumento da antiguidade persa em uma praça de São Cristóvão. Não poderia ter sido instalada em outro local, pois fica próxima ao Museu Nacional. D. Pedro II teria ficado extasiado com a doação. Uma lástima esta obra tão bela ter sido deixada de lado pelos políticos e tenha recebido uma apelido infame da população pelo puro desconhecimento da arte e da história antiga.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. disse tudo, tolo é aquele que leva em consideração o comentário de um ignorante seja ele comerciante do local ou um politico como o prefeito.

      Excluir
  15. O local é bem interessante, tenho certeza que D. Pedro II, adoraria ter um obelisco deste naquele local. Além do mais, está em frente a um museu militar, portanto, mais seguro contra atos de vandalismo. Obrigado pela informação, passei pelo local e fiquei muito curioso sobre a origem do monumento.

    ResponderExcluir
  16. O local é bem interessante, tenho certeza que D. Pedro II, adoraria ter um obelisco deste naquele local. Além do mais, está em frente a um museu militar, portanto, mais seguro contra atos de vandalismo. Obrigado pela informação, passei pelo local e fiquei muito curioso sobre a origem do monumento.

    ResponderExcluir