HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Os 9 Patrimônios Imateriais do Irã (UNESCO)

O termo "Patrimônio Imaterial" de acordo com a UNESCO designa as expressões vivas herdadas pelos povos ancestrais e passadas ​​para as gerações seguintes, como  tradições orais, artes performáticas, práticas sociais, rituais, eventos festivos, conhecimentos e práticas relativas à natureza  ou técnicas  artesanais. A seguir, conheça os Patrimônios Imateriais da República Islâmica do Irã, que foram elegidos desde  o ano de 2009.

1- A Radif da Música Iraniana Tradicional

Hossein Alizadeh, músico iraniano representante da Radif
A Radif ("ordem" em persa) é o repertório tradicional da música clássica do Irã que constitui a essência da cultura musical persa. Embora grande parte da música tradicional iraniana seja apresentada através da improvisação, os músicos passam anos aprendendo a dominar a Radif como ferramenta para as suas performances e composições. A Radif pode ser vocal ou instrumental e sua tradição é passada de mestre para discípulo através da instrução oral, há várias gerações.  

2- O Nowruz (Ano Novo Persa) 

Famílias fazem compras na véspera do Nowruz em Teerã
Nowruz marca o Ano Novo e o início da primavera em vários países como Azerbaijão, Irã, Quirguistão, Tadjiquistão, Uzbequistão e Curdistão. A data que é comemorada geralmente em 21 de março de cada ano, é determinada por cálculos astronômicos. O Nowruz está associado a várias tradições locais, oriundas da religião zoroastriana. Os ritos que acompanham a festa incluem canções, danças, decoração da mesa simbólica (haft-sin), banquetes e distribuição de presentes entre famílias, amigos e vizinhos.

3- A Arte da Tapeçaria em Kashan

Tecelagem artesanal de tapete em Kashan
Com uma longa tradição em tapetes, Kashan tem quase um em cada três habitantes trabalhando em tapeçaria, sendo mais de dois terços mulheres. O processo de tecelagem começa com um desenho que inclui temas da natureza ou cenas históricas. Tecidos em um tear conhecido como dar, o estilo de tecelagem Farsi é aplicado com delicadeza exemplar em Kashan e suas cores vêm de uma variedade de corantes naturais. As habilidades tradicionais de tecelagem de tapetes Kashan são passadas para as filhas através da instrução de suas mães e avós e também aos homens são ensinadas habilidades de desenho, tingimento, corte, construção de teares e ferramentas.

4- A Arte da Tapeçaria em Fars 

Mulher nômade produzindo tapete artesanal em Fars
Os tapetes iranianos têm uma fama mundial e os tecelões de Fars, no sudoeste do Irã, estão entre os mais proeminentes. As cores utilizadas são principalmente vermelhos, azuis, marrons e brancos produzidos a partir de corantes naturais. Os homens coletam a lã e fazem os teares, enquanto as mulheres são responsáveis ​​pela escolha das cores e desenhos que trazem cenas da vida nômade. Cada desenho é unico, nunca existindo dois tapetes iguais. Essas habilidades são transmitidas oralmente, assim as mães treinam as filhas para usar os materiais, ferramentas e habilidades, enquanto os pais treinam os filhos para coletar a lã e fazer teares.

5- O Ritual das Artes Dramáticas Ta‘zīye

Uma performance Ta'zīye pública
Ta'zīye é uma arte ritual dramática que narra eventos religiosos, históricos, míticas e contos populares. Cada performance tem quatro elementos: a poesia, a música, a canção e o movimento. Cada drama Ta'zīye é individual, tendo o seu próprio assunto, figurino e música. As performances são ricas em simbolismo, convenções, códigos e signos que os espectadores iranianos conhecem bem, e acontecem em um palco sem iluminação ou decoração. Os artistas são sempre do sexo masculino, com papéis femininos sendo desempenhados por homens, e a maioria são amadores. Suas performances ajudam a promover e reforçar os valores religiosos e espirituais, altruísmo e amizade, preservando antigas tradições, a cultura nacional e a mitologia iraniana.

6- Os Rituais Pahlevani e Zurkhanei 


Demonstração de artes marciais Pahlevani em uma Zurkhaneh
A Pahlevani é uma arte marcial iraniana que combina elementos do Islã e antigas crenças persas. Ela consiste em rituais de movimentos de ginástica realizados somente por homens, que empunham instrumentos simbolizando armas antigas. O ritual acontece em uma Zurkhaneh, uma estrutura com uma arena octogonal e platéia. O Morshed (mestre) que lidera o ritual Pahlevani recita poemas épicos e enquanto marca o tempo com um zarb (tambor em foma de taça). Os poemas recitados transmitem ensinamentos éticos e morais e os participantes podem ser de qualquer classe social ou religião, e cada grupo tem fortes laços com a sua comunidade local. Atualmente, há 500 Zurkhanehs em todo o Irã.

7- A Música dos Bakhshis de Khorasan


Um músico Bakhshi tocando o alaúde dotar
Na Província de Khorasan, os Bakhshis são famosos por sua habilidade musical com o dotar, um alaúde de duas cordas. Eles recitam poemas islâmicos e épicos mitológicos, contendo temas históricos ou lendários. Sua música, conhecida como Maghami, consiste de peças instrumentais e/ou vocais, cantadas em turco, curdo e persa. A música Bakhshi tradicional é transmitida do mestre apenas para membros da família ou vizinhos do sexo masculino. Enquanto os métodos modernos um mestre treina uma ampla gama de estudantes de ambos os sexos, de diversas origens. A música transmite a história, a cultura, os fundamentos éticos e religiosos.

8- Barcos de Madeira Lenj no Golfo Pérsico

Construção de barco de madeira Lenj na costa do Golfo Pérsico
Os barcos iranianos Lenj são construído artesanalmente e utilizados pelos habitantes da costa norte do Golfo Pérsico para viagens marítimas e pesca comercial. O conhecimento tradicional dos construtores de Lenjs inclui literatura oral, artes cênicas e festivais, além das técnicas de navegação e previsão do tempo que estão intimamente associados com as habilidades de construção dos barcos de madeira em si. Esses conhecimentos eram tradicionalmente passados de pai para filho. Infelizmente, hoje em dia, os Lenjs de madeira estão sendo substituídos por barcos de fibra de vidro mais baratos e a filosofia, cultura e conhecimento tradicional da navegação no Golfo Pérsico estão gradualmente desaparecendo.

9- A Arte Iraniana de Contar Histórias Naqqāli 

Um artista Naqqāl dramatizando uma história da literatura persa
Naqqāli é a mais antiga forma de atuação dramática do Irã e tem desempenhado um papel importante na sociedade. O artista Naqqāl reconta histórias em verso ou prosa acompanhados por gestos e movimentos, e música instrumental e às vezes pergaminhos pintados. Os Naqqāls funcionar tanto como artistas como portadores da literatura e cultura persa e precisam estar familiarizados com as expressões culturais locais, dialetos e música tradicional. Até recentemente, os Naqqāls foram considerados os guardiões mais importantes dos contos e da música folclórica iraniana. A popularidade decrescente entre as gerações mais jovens têm causado uma queda acentuada no número de Naqqāls qualificados, ameaçando a sobrevivência desta arte dramática.


2 comentários

  1. Salam, Jana Jan!

    Saudades de ti. Como é belo o incentivo à Arte de todos os âmbitos no Irã. O zelo pela cultura parece se bem cotidiano, não?
    Gostei de ver o texto e as imagens que você selecionou.
    Seus posts anteriores, também os li. Não deu tempo para comentar tudo, pois esses dias têm sido desafiantes para mim: levando meu filhote de pastor-alemão ao veterinário, pois descobrimos que ele está com câncer!
    Insh´Allah ele tenha a bênção da cura, torça por ele!!!!

    Bauce:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Denise jan, muito feliz por seu comentário aqui! Acredito que temos muito a aprender com o povo persa no zelo por seu patrimônio cultural e respeito as tradições do passado.
      Puxa que notícia triste, os cães são animais tão fiéis e guerreiros. Mas com todo carinho estou torcendo para que seu bebê se cure, com a benção de Allah!

      Bause !!!

      Excluir