HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Teerã: uma capital moderna, histórica e cultural

A moderna Teerã, com o monte Damavand ao fundo 
Tehran Bozorg (em persa "Grande Teerã"), é a capital do Irã e também da província homônima de Teerã.  Localizada na encosta das montanhas e ao pé do magnífico Monte Damavand, é uma das maiores metrópoles do mundo e o maior centro econômico do país, atualmente com cerca de 8,42 milhões de habitantes. Possui também a maior malha ferroviária do país e dois aeroportos internacionais (Iman Khomeini e Mehrabad).
A palavra Tehran é derivada de Tiran ou Tirgan, que significa "a morada de Tir" (a divindade zoroastra associada a Hermes). Esta antiga aldeia de Tiran era vizinha de Mehran (a morada de Mehr ou Mitra), ambas sendo dominadas pela grande cidade de Rey ou Rhages uma importante região dos medos e aquemênidas. Mehran e Rey ainda existem como subúrbios de Teerã. A primeira menção a Teerã, em um texto antigo é feita no século X no Massalek-al Mamalek (Os Caminhos dos Estados) por Estakhri. Shah Tahmasb, um dos reis Safávidas, optou por Teerã como centro administrativo para sua dinastia, enquanto na época da dinastia Zand, era apenas uma pequena cidade com alguma importância do ponto de vista militar. O primeiro dos reis da dinastia Qajar, Agha Khan Mohammed, transformou Teerã na capital do país em 1778. No entanto, o seu desenvolvimento começou no tempo de Fath-Ali Shah com a construção de novos edifícios reais, portões, praças e mesquitas. E na época do Shah Nassereddin a cidade foi planejada com ruas modernas e mais tarde, grandes praças centrais como a Toopkhaneh (agora Imam Khomeini) e vários edifícios militares. Durante o século XIX, o centro da cidade permaneceu  em torno do palácio e do bazar. No entanto, Reza Shah (1925-1941) preferia viver nos seus palácios a oeste da cidade ou nos de Sa'ad Abad, 10km ao norte, e grandes avenidas foram reduzidas para vincular essas áreas em conjunto durante o seu reinado. Este foi o início do eixo norte-sul vertical, que é tão característico de Teerã, e a cidade  também é cortada pela rua Valiasr, a maior do Oriente Médio,  no eixo leste-oeste.
Atualmente, a cidade se divide em 22 distritos, cada um com seus próprios centros administrativos. Alguns dos bairros de caráter tradicional ainda restantes são: Udlajan, Sangelaj, Bazaar, Chaleh Meydan, Dowlat. Desses, Chaleh Meydan é o mais antigo.

PONTOS TURÍSTICOS E CULTURAIS

 Torre Azadi

A torre, construída em 1971 por ocasião das comemorações dos 2.500 anos do Império Persa, foi chamada originalmente Shahyād, ("memorial dos reis"). Passou a chamar-se Azadi ("liberdade") a partir da Revolução de 12 de dezembro de 1979. A Torre Azadi combina os elementos arquitetônicos do período Sassânida e da arquitetura islâmica. Tem 45 m de altura e é inteiramente revestida por 25.000 placas de mármore branco de Isfahan. Um museu e várias fontes completam o conjunto que fica localizado na Praça Azadi.

Palácio de Golestan


 ("Jardim das Rosas") que foi residência da realeza Qajar é um dos lugares mais visitados em Teerã. O seu jardim é um oásis de frescor e silêncio no coração da cidade. Na verdade é um complexo composto por 17 palácios, museus e salões construído durante 200 anos. Estes palácios foram usados ​​para muitas ocasiões diferentes, como coroação e outras celebrações importantes.O edifício principal abriga um museu com objetos da era Qajar no estilo pomposo do século passado.

Museu Nacional do Irã


Em persa Muze Milliye-ye Iran. É a combinação de dois museus, o velho Muze-ye Iran-e Bastan ("Museu Arqueológico do Irã", inaugurado em 1937), e o modernista Muze-i Honar Milli (Museu de Artes Nacional, inaugurado em 1972). Não é apenas o maior museu de História e Arqueologia do país, mas classifica-se como um dos mais prestigiados do mundo em relação ao grande volume e qualidade de seu acervo.

 Palácios de Sa'dabad


Este é um complexo palaciano construído pela dinastia Pahlavi no distrito de Shemiran. Após a Revolução de 1979, tornou-se um museu no qual os visitantes podem fazer um passeio através da rica história do Irã. Além disso, o palácio com o nome Kakhe malakeye Madar hoje em dia, é o lugar onde ficam os hóspedes estrangeiros do presidente.

 Museu Iraniano dos Tapetes


Localizado ao lado de Parque Laleh e fundado em 1976, exibe uma variedade de tapetes persas de todo o Irã e contem uma biblioteca com mais de 7000 livros. Projetado pela rainha Farah Diba Pahlavi a estrutura vazada no exterior foi concebida tanto para se assemelhar a um tear de tapeçaria quanto para lançar sombra sobre as paredes, reduzindo o impacto do sol quente de verão.

 Museu do Cristal e da Cerâmica


Este impressionante museu se localiza em um belo edifício da era Qajar. Foi construído como residência de uma proeminente família persa, que mais tarde abrigou a embaixada egípcia e foi convertido em museu em 1976.

Museu de Arte Contemporânea do Irã


Inaugurado em 1977, e construído ao lado do Parque Laleh, o museu foi projetado pelo arquiteto iraniano Kamran Diba. Considera-se ter a mais valiosa coleção de arte moderna ocidental fora da Europa e do Estados Unidos incluindo obras de Vincent Van Gogh, Pablo Picasso e Andy Warhol, além de organizar exposições de artistas locais.

 Torre Milad

 Construída em 2003 como o mais novo símbolo de Teerã. Com a altura total de 435 metros, incluindo uma antena de 100 metros, a torre tem na parte superior 12 andares de metal e vidro, onde funcionam um restaurante panorâmico, uma galeria de arte e um terraço. É atualmente a 6ª torre mais alta do mundo.

Palácios de Niavaran


 O complexo palaciano, concluído em 1968, foi a residência principal do último Xá da Pérsia, Mohammad Reza Pahlavi, e da família imperial até à Revolução Iraniana. Atualmente, vários edifícios do complexo estão acessíveis aos visitantes, como o Museu Jahan (1997), o Palácio Sahebqaranieh (1998) e o Kushak de Ahmed Shah (2000).

O Centro de Exposições de Teerã organiza numerosos eventos, inclusive feiras literárias de alta popularidade. A atividade social mais popular, especialmente entre a geração mais jovem é o cinema. O Cinema Azadi, inaugurado em 2008 é o maior de toda a cidade com dez salas. E para quem gosta de artes cênicas, há  o Teatre Shahr  (Teatro da Cidade) que  foi inaugurado em 1962.
Teatre Shahr
E como é impossível descrever todo o esplendor de Teerã nesta postagem, veja este belíssimo vídeo com  imagens da capital do Irã no passado e no presente:


Fontes de pesquisa:
Museu de Arte Contemporânea de Teerã
Museu Nacional do Irã
Museu Iraniano dos Tapetes
Museu do Cristal e da Cerâmica
Iran Chamber Society
Wikipedia


9 comentários

  1. Salam, alma iraniana!

    Amei seu comentário sobre meu poema, eu me emocionei, sabia? Shukran!

    A Torre Azadi parece com um monumento de Brasília. O palácio de Sa´dabad tem arabesques lindos. Eu adoraria fazer esses arabesques na minha varanda, tomara que um dia eu possa fazer isso.
    Teerã parece bem verde, é mesmo assim? É a minha impressão.

    Um beijo e um "verde" domingo!

    ResponderExcluir
  2. Salam Denise, querida alma poética e khaleejiah!

    Estes monumentos são tão maravilhosos que depois vou fazer postagens separadas sobre cada um deles, em especial o palácio de Golestan. A torre Azadi é de uma grandeza espantosa, o que esta foto parece não mostrar tão bem. Em pensar que neste conjunto de Sa'dabad tem mais outros 20 palácios!
    Se você estiver falando de verde natureza, apesar de ser uma metrópole com alto índice de poluição, em Teerã não faltam parques, há pelos menos uns 27 dentro da cidade e nas montanhas ao redor... os iranianos valorizam muito o contato com a natureza. E pelo que já ouvi dizer, as ruas são todas arborizadas e com canteiros de flores. Como isso nos faz falta aqui em São Paulo!

    Um super beijo com flores da Pérsia para enfeitar o seu domingo!

    ResponderExcluir
  3. Jana Jan, salam!

    Estou preocupada com o terremoto no Irã...
    Seus amigos estão bem?

    beijos.

    ResponderExcluir
  4. Janaína e Denise, há praças em Teerã, ocupadas até bem tarde pelas famílias em piqueniques. O risco de assalto, roubos é próximo de zero. Entretanto, o tráfego é intenso e caótico. Os veículos, por causa das sanções, soltam muita fumaça. Os parques também têm mais gramíneas do que árvores. Mas alguns palácios do antigo ditador rezah palehvi, hoje abertos ao público, têm árvores como um jardim botânico, e as temperaturas ficam amenas, além do silêncio que contrasta com o das ruas. Enfim, Teerã é uma cidade grande, uma metrópole pouco diferente das ocidentais, no tamanho dos problemas. Gostei muito do post. Obrigado! Abraço, José Henrique

    ResponderExcluir
  5. Salam queridos amigos Denise e Henrique, também fico muito triste com a notícia do terremoto, mas felizmente nenhum dos meus amigos mora nessa região.
    Realmente fico muito feliz que tenham gostado do post. Meu sonho é conhecer essa cidade, especialmente estes pontos culturais que contam a história desta maravilhosa civilização. Esta pesquisa é apenas uma introdução para convidar as pessoas a olharem para esta cidade. Obrigada por completar o post com seus comentários tão importantes sobre Teerã.

    Abraços e ótima semana a todos!

    ResponderExcluir
  6. Salam Janaina !

    Sabe que depois que comecei a ler o Lima da Pérsia, algo em mim começou a germinar .... estou gostando mais do Iran, eu pretendo conhecer todos os países do Oriente Médio, Norte da Africa e claro o Iran ... te confesso que ele ja subiu algumas posições e deixou outros paises de golfo pra traz na lista de espera !
    Fiquei encantada com as imagens .... principalmente com aquele do tunel com a montanha nevada ao fundo !

    Bauce

    ResponderExcluir
  7. Salam querida Andréia, seu comentário realmente mostra que estou conseguindo cumprir o meu objetivo com este blog.Fazer as pessoas olharem de um jeito diferente para este país e apreciá-lo, apesar de tudo de negativo que se ouve sobre ele. Também quero muito conhecer outros países do Oriente Médio e Norte da África. Me desculpe o exagero, mas não consigo me imaginar sem visitar o Irã antes de morrer rsrs...
    Esta foto do túnel Tohid com o monte Damavand ao fundo me encantou, foi a melhor que encontrei para ilustrar o Irã moderno, em constraste com a paisagem da Pérsia antiga.

    Inshallah, a Pérsia nos aguarda!

    Bauce

    ResponderExcluir
  8. Inshallah Janaina ! A Pérsia nos aguarda e com certeza será uma viagem inesquecivel.
    Vou começar as pesquisas sobre a viagem, como visto, hoteis, guias e tudo mais e vou começar o planejamento vou tentar fazer a viagem em dobradinha com algum país do golfo e aproveitar o hub na cia aérea como a Qatar e de quebra conhecer Doha ou talvez Emirates ou Etihad e visitar os emirados.
    Mas uma viagem para o Irã deve ser planejada nos mínimos detalhes para poder aproveitas as belezas da Pérsia !

    Desculpe comentar como anonimo mas o blogger ta de frescura e não quer logar
    Bauce

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Encontrei em SP esta agência com roteiro especial para o Irã: http://venturas.com.br/diaadia.asp?id=134&cod=6988
      Gosto deste roteiro para uma 1ª viagem, por ser o mais tradicional e com bastante tempo para conhecer as cidades dos meus sonhos.
      Amanhã vou entrar em contato com eles para consultar os preços e detalhes.

      PS: não tem problema nenhum comentar como anônimo, é só se identificar depois rsrs


      Excluir