HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Os Minaretes do Irã

Minarete da mesquita Imam em Isfahan
Minarete (do turco minare, pelo árabe manāra, em persa é pronunciado menāreh, lit. significa "farol") é a torre de uma mesquita, local do qual o muezzin anuncia as cinco chamadas diárias à oração para os muçulmanos. A palavra minarete deriva de noor  que significa "luz", referindo-se a um lugar de onde a luz é emitida. Assim os minaretes eram inicialmente torres utilizadas para guiar os viajantes durante à noite. Não se sabe exatamente quando  foi construído o primeiro minarete na era islâmica. Acredita-se, no entanto, que os minaretes surgiram logo após a construção das mesquitas nas cidades islâmicas. Até então, os muezzins ou pregoeiros utilizavam o telhado das casas mais altas da cidade para chamar o povo às orações. A construção do minarete em sua forma atual foi introduzida pela primeira vez durante o reinado dos califas Omíadas (provavelmente influenciados pelas torres das igrejas cristãs).  
Após a expansão do islamismo no Irã, as atividades sociais foram amplamente interrompidas por um curto período antes de serem retomadas novamente sob a influência da nova cultura. Os primeiros minaretes tinham a forma de simples pólos orientadores perto das mesquitas, antes de serem desenvolvidos como estruturas elaboradas. O minarete da mesquita Jame Shoushtar construído no início do século VIII  está entre os primeiros erguidos no Irã depois do advento do Islã.  É provável que o mais antigo minarete de tijolos de barro tenha sido construído no final do século IX  entre as cidades nova e velha de Qom para que o chamado do muezzin pudesse ser ouvido em ambas as cidades. Presumivelmente, o mais antigo minarete de alvenaria  se localiza a 26 km da cidade de Mashhad, e foi construído durante o governo de Mahmoud Soltan Ghaznavi (998-1030) e chamado Ayaz ou Arsalan  Jazeb alternadamente. 
O período Seljúcida, durante os séculos XI e XII, é particularmente notável no desenvolvimento das artes arquitetônicas no Irã, especialmente dos minaretes. Os  que foram construídos nas laterais do prédio do governo na cidade de Kashan, são exemplos notáveis. Estes minaretes eram simples, sem padrões ornamentais. O mais antigo deste período é o da Mesquita Vermelha, em Saveh construído em 1087  e considerado como um edifício monumental Seljúcida.

Minarete da mesquita Jame Shushtar,
 um dos mais antigos do Irã
Minarete de Arsalan Jazeb (Ayaz) em Mashhad 
Apesar de o Irã ter sofrido uma destruição radical pela invasão de mongóis e Timúridas, os reis posteriores dessas dinastias auxiliados por ministros capazes construiram um grande número de mesquitas e santuários com minaretes elevados. A grande diferença deste período,  é que os minaretes passaram a ser construídos em pares. Os minaretes da mesquita Jameh Ashtarjan de Isfahan, da Mesquita do Sultão Taht-Agha e da mesquita Jame de Kerman estão entre os exemplares da dinastia dos Ilkhanidas. Existe um minarete famoso na mesquita Goharshad  em Mashhad, que pertence ao período Timúrida. 
Os minaretes gêmeos da Mesquita Shah em Isfahan  foram construídos durante a dinastia dos safávidas  que é conhecida como a era dourada da arquitetura iraniana, os minaretes foram decorados com  "faiança" e azulejos coloridos com motivos florais e caligrafias. A  mesquita Imam, o edifício da escola Chahar Bagh  e a mesquita Shah em Isfahan exibem os minaretes mais elegantes da época. Merecem destaque também os dois minaretes "balançantes" Manar-e Jombān em Isfahan e o curioso minarete Shams Tabrizi em Khoy, cuja decoração do eixo consiste em numerosas caveiras de carneiro com seus chifres projetados para o lado de fora.
Minarete timúrida da Mesquita de Goharshad em Mashhad  
Mesquita Jameh Ashtarjan do período Ilkhanida
Os minaretes "balançantes" Manar e Jomban  em Isfahan

O curioso minarete "com chifres"
de Shams Tabrizi em Khoy
Exemplos da diversidade de estilos dos minaretes do Irã

A estrutura arquitetônica dos minaretes basicamente consiste em três partes: 

1 - Base: Por caracterizarem um corpo alongado e delgado, os minaretes necessitam de uma base reforçada em suas fundações. Precauções de segurança exigem que o terreno seja escavado a uma profundidade suficiente até que encontre o solo duro. Então, a trincheira escavada deve ser preenchida com cascalho antes que a base principal seja construída. Alguns tipos de minaretes são montados direto no nível do solo sem nenhuma base no subsolo.
  2 - Eixo: O tamanho e a forma de um minarete pode variar de um país  para outro. Os minaretes iranianos podem ser agrupadas em duas categorias: individuais e duplos. Os individuais normalmente têm um corpo mais alongado e podem ser de três tipos: cilíndricos, cônicos (afinando em direção ao topo) e poligonais. O eixo, constitui a parte principal  da estrutura e é rodeado por um conjunto de escadas em espiral em sentido anti-horário que levam até a galeria. As escadas em espiral proporcionam uma maior resistência contra o tremor e a forma arredondada do eixo suporta os impactos dos ventos fortes. Entradas de luz são abertas ao longo do eixo permitindo que a luz natural ilumine as escadas. 
3 - Galeria: Uma espécie de varanda, circular ou poligonal  onde a chamada para oração é feita pelos muezzins. Esta varanda é coberta por um telhado semelhante a um toldo variando de formato de acordo com o país e estilo. No Irã da era safávida geralmente essas varandas eram  feitas em madeira, estilo que foi preservados até a era  Qajar. Em comparação com minaretes turcos, especialmente do período otomano, os minaretes iranianos têm pequenas cúpulas acima deles, em vez de torres pontiagudas.

Um panorama de Isfahan na  varanda do minarete da mesquita Imam Khomeini
Os minarete iranianos, que também incluem os exemplares do Afeganistão, Índia e as regiões do Mar Cáspio, geralmente alcançam mais de 50 metros de altura. Com a queda dos safávidas e o surgimento da dinastia Qajar a arquitetura iraniana entrou em declínio e a construção dos minaretes se tornou menos expressiva.


4 comentários

  1. Salam, Jana Jan,saudades de vc!

    amei ler esse post, sobretudo ver os minaretes do irã. O de Shams Tabrizi realmente chama a atenção. Por que será que o fizeram assim?...

    Mas os de Isfahan são tão belos com aquele azul sem igual, nós vamos vê-los um dia,não é?

    Bauce:)

    ResponderExcluir
  2. Salam Denise jan, também senti saudades!
    Esses minaretes que mostrei aqui só são um passeio pelos estilos das diferentes épocas. Existem outros minaretes lindíssimos em Qom, Meshhad e Kerman por exemplo. Pesquisei sobre o minarete de Shams Tabrizi e existe uma história sobre estes chifres que representam a quantidade de carneiros que o Shah Esmail Safavid, proprietário do jardim onde se localiza o minarete conseguiu caçar em um único dia.
    A arquitetura Safávida de Isfahan é como eu diria, um luxo! Deve ser muito emocionante avistar a cidade destas varandas de madeira do minarete da mesquita do Imam. Essa adorável cidade ainda nos aguarda!

    Bauce e um ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. Janaina, muito bom dia!
    É sempre uma ótima viagem passear sobre o que você mostra e escreve.
    Obrigado por nos conceder o privilégio de conhecer uma cultura tão rica e bela.
    Já faz parte de um dos objetivos da minha vida, conhecer o Irã.
    Um excelente domingo, e desde já, desejo-lhe uma maravilhosa semana.
    Adriano Almeida
    Recife-Pernambuco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Adriano! Eu que agradeço a sua participação aqui!
      Fico muito feliz em estar contribuindo com informações sobre um país que tem uma imagem tão distorcida pelo Ocidente. Tenho certeza que irá se encantar ainda mais quando conseguir o objetivo de conhecer a beleza dessa cultura de perto.
      Uma semana maravilhosa para você também! E saudações para a linda cidade de Recife!

      Excluir