HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

As Mulheres do Irã nas Olimpíadas de Londres 2012

Pela primeira vez na história das Olimpíadas, 9 atletas iranianas vão competir em Londres 2012. Estas atletas guerreiras do Irã  enfrentaram dificuldades financeiras, foram expulsas de suas equipes e reintegradas dias antes da competição e treinaram sob condições precárias. Apesar de tudo, elas estão muito animadas para competir em Londres e sua presença mostra que elas conseguiram contra todas as possibilidades. Vamos conhecer um pouco da trajetória destas heroínas:

 Tiro Esportivo   
Elaheh Ahmadi
Elaheh Ahmadi (29 anos) começou a atirar há doze anos e se tornou  membro da equipe nacional do Irã há três anos. Ahmadi é otimista sobre alcançar bons resultados em Londres: "Se eu continuar a bater meus recordes durante o treino, eu  serei capaz de ganhar algumas medalhas ... Meu objetivo é levantar a bandeira do meu país durante este torneio". Ahmadi era originalmente candidata a  porta-bandeira do Irã, mas a federação de tiro a proibiu: "Na verdade eles me contataram e no final decidimos que eu não deveria ser a porta-bandeira já que eu não poderia participar da cerimônia de abertura um dia antes de competir ... 

Mahlagha Jambozorg
Mahlagha Jambozorg (21 anos) foi a primeira iraniana a se classificar para Londres 2012. Natural de Hamedan, começou a atirar quando tinha 15 anos e se tornou  membro da equipe Nacional de Tiro do Irã, aos 17 anos. Após a classificação para os Jogos Olímpicos, ela disse em uma entrevista: "As Olimpíadas sempre foram um sonho para mim, e agora se tornou realidade ". Sobre suas expectativas de ganhar medalhas Jambozorg diz : " Na minha opinião, o melhor resultado seria a minha própria satisfação com o meu desempenho na competição. Um atirador deve procurar obter o seu melhor resultado, embora eu não possa dizer o que seria o melhor resultado, vou fazer o meu melhor nessas competições ".

 Taekwondo    
Sousan Hajipour
Em uma entrevista a lutadora de Taekwondo, Sousan Hajipour (21 anos)  falou sobre o apoio que ela recebeu da Federação Iraniana de Taekwondo: "[A federação] me apoiou totalmente Eu tenho um bom treinador, um preparador físico, médico, fisioterapeuta, boa alimentação, tudo ... tudo que eu precisava. Eu fui a um bom campo de treinamento na Coreia do Sul e isso me ajudou a chegar na melhor forma possível ". Quando perguntada sobre seu principal objetivo para a Olimpíada : "Como uma mulher iraniana, quero mostrar ao mundo que a classificação para os Jogos Olímpicos não era o meu objetivo final, eu quero mostrar que podemos obter medalhas ... Espero ser a primeira mulher iraniana a ganhar uma medalha nos Jogos Olímpicos ".

 Tiro com Arco 
Zahra Dehghan
Zahra Dehghan (24 anos) começou sua carreira de tiro com arco, com seis anos de idade. Ela foi a última mulher iraniana a se classlificar para Londres em 2012 devido a uma série de problemas com a Federação Iraniana de Tiro com Arco o que quase levou ao corte de sua participação nos Jogos Olímpicos. O chefe interino da Federação, Mohammadali Shojaei, estaria diposto a substituí-la por Sareh Asadi. Após a notícia da sua substituição ter circulado na mídia, menos de dez dias antes da Olimpíada, Mohammad Aliabadi, presidente do Comitê Olímpico Nacional do Irã, anunciou que Zahra Dehghan voltaria a representar o país nos Jogos Olímpicos. Feliz pela decisão de última hora, a arqueira Dehghan disse : "Chegar ao os Jogos Olímpicos é uma sensação muito boa e agradeço a Deus que na última hora me fez voltar para a equipe olímpica ". 
Sareh Asadi
Sareh Asadi (24 anos) foi a atleta escolhida pelo chefe da Federação Iraniana de Tiro com Arco, após os incidentes diplomáticos com Zahra Dehghan. No entanto, após a confirmação da participação de Dehghan as duas estão presentes na competição.

      Remo       
Soulmaz Abbasi

As dificuldades enfrentada pela remadora Solmaz Abbasi (28 anos), começaram em Maio de 2012, quando o Presidente da Federação de Canoagem do Irã, Ahmad Donyamali, foi demitido. O presidente do ICF,  Jose Perurena,  anunciou que os remadores do Irã só poderiam participar de Londres 2012 se Donyamali fosse reintegrado. Depois de duas semanas de negociações entre as autoridades desportivas e políticos iranianos, o presidente  Mahmoud Ahmadinejad disse que o ex-presidente da federação acompanharia a equipe olímpica do Irã, e a presença de Solmaz Abbasi foi confirmada em 18 de Julho. Pouco antes de sua partida Abbasi declarou: "Considerando o que aconteceu, em alguns pontos eu perdi minha concentração... No entanto, vou fazer o meu melhor e tentar obter um resultado aceitável ".

 Tênis de Mesa 
Neda Shahsavari 
Neda Shahsavari (26anos) acredita que sua classificação para os Jogos Olímpicos foi o resultado de um árduo trabalho: "Dois meses antes dos torneios de classificação eu comecei a treinar constantemente ... participar no torneio internacional de tênis de mesa na Hungria e praticar com os húngaros em Teerã também me ajudou ". Shahsavari também mencionou que sua classificação para os Jogos Olímpicos fez com que a Federação de Tênis de Mesa prestasse mais atenção às jogadoras no país. No entanto ela teve que enfrentar a falta de apoio financeiro: "Treinei principalmente em Kermanshah com a minha família. Meu pai gastou milhares de libras para fazer do nosso jardim  um salão de treinamento...". Sobre as Olimpíadas, disse: "Eu treinei bem e acho que estou em boa forma... espero não estar no mesma grupo que meus rivais do leste da Ásia. Eles são os melhores  e é difícil competir contra eles ".

    Canoagem      
Arezou Hakimi 

Arezou Hakimi (17 anos) é a mais jovem mulher atleta do Irã. Tendo iniciado a carreira na natação, começou a treinar canoagem há quatro anos atrás: "Eu fui membro da equipe nacional de natação, mas por ser mulher poderia apenas competir em competições nacionais, então decidi entrar para a canoagem a fim de competir internacionalmente ". Hakimi não se classificou oficialmente para os Jogos Olímpicos. Ela ficou no lugar de Arezou Motamedi, porque a  Federação Iraniana decidiu  realizar uma competição entre 18 mulheres iranianas para determinar quem iria para Londres. O treinador de Hakimi, Yuldashev Vyvchslav disse: "Arezou foi ótima. Antes da competição eu sabia que seu sonho se tornaria realidade ... Hakimi terá um futuro brilhante... ". Hakimi diz que está pronta para as Olimpíadas: "Graças a Deus eu estou em boa forma... Eu farei tudo para melhorar ainda mais os meus resultados". Ela acrescentou ainda:" Como conseguir uma medalha nesta edição, vai ser muito difícil, eu prometo a ganhar uma medalha para o Irã nas Olimpíadas de 2016  no Rio de Janeiro. "

     Atletismo     
Leyla Rajabi
A arremessadora de peso Leyla Rajabi (29 anos) se classificou para os Jogos Olímpicos de Londres, em Janeiro de 2012. Rajabi é originalmente da Bielorrússia. Antes de casar com  o corredor iraniano Payman Rajabi em outubro de 2007, Leyla era conhecida como Tatsiana Ilyushchanka. No Irã, Leyla Rajabi detém o recorde nacional de arremesso de peso, mas não se considera uma esperança de medalha para Londres 2012: "Eu não acho que vou ganhar uma medalha em Londres, mas vou fazer o meu melhor para chegar às finais ". Rajabi que treinou na Bielorrússia acredita que é difícil prever os resultados, e que o Irã está muito atrás de outros países no atletismo feminino: "O Irã precisa de treinadores profissionais para as mulheres. Infelizmente muitas atletas não têm nem mesmo um treinador. Sob tais condições, o progresso das mulheres no atletismo será muito lento ".

Baseado em artigo do site Storify by Small Media


11 comentários

  1. Boa tarde Jana, e aos demais leitores!
    Quando da entrada da delegação Iraniana, emocionei-me por você e pela Denise Bonfim!
    Tudo que alude àquela região, penso em vocês duas... será que já estamos nos tornando três amigas?
    Um grande abraço a todos e meus sinceros respeitos.
    Cri.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam, Cristina! Que emoção ler seu comentário aqui e ver que você lembrou-se de mim. Muito obrigada, Shukran!
      Allah Maaki = Deus está contigo.

      Excluir
  2. Voltei Jana! Agora para comentar o post...
    Que belo! Primeiramente por seu esmero. Em segundo lugar, pelas mulheres maravilhosas, de semblante forte, beleza sem artificialismos!
    A atiradora é oriunda daquela província que me encantou pelo nome do mês sagrado... Hamedan.
    A lutadora treinou na Coreia do Sul, País que também me encanta... sigo uns brasileiros por lá.
    A garota da canoagem fez alusão ao Rio de Janeiro! E pensar que teremos todas aqui em quatro anos!
    Parabéns!
    Cri.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Cris, mais uma vez muito obrigada pelos seus comentários tão encantadores!
      Também sigo o blog da Denise, e ela é outra leitora querida do Chá-de-Lima! Acredito sim que possamos nos tornar grande amigas através desse interesse comum que temos pelo Oriente (em breve vou escrever mais posts sobre amizades virtuais)!
      Quanto ao post, fico muito feliz que tenha lido e gostado, enquanto no Ocidente se dá destaque a beleza do corpo, essas garotas estão aí com hejab e tudo para mostrar o verdadeiro poder feminino!
      Se Deus quiser em 4 anos vamos receber de braços abertos estas e muito mais outras atletas muçulmanas aqui no Brasil!
      Apenas um pequeno esclarecimento: o nome da província Hamadan na verdade não se refere ao mês sagrado (Ramadan), mas é um nome arabizado da antiga Hagmatana (ou Ecbátana). Ok?

      Um grande e carinhoso abraço!!!

      Excluir
    2. Obrigada, Jana! Me soa tão lindo a palavra Ramadan! Estou começando a compreender a cultura...mas espero que não haja desrespeito se eu me lembrar deste mês tão sagrado quando ouvir palavras próximas!
      Com o tempo vou fazendo a diferenciação, é que ainda estou no "berçário", sabe, mas com excelentes Professoras como vocês, logo consigo evoluir no aprendizado destes povos maravilhosos.
      Salan, Denise! Lhe retribuo em dobro!
      Meus cumprimentos a vocês duas e também aos demais!
      Cri.

      Excluir
    3. Por nada Cris, me emociono também quando ouço falar desta expressão de Fé tão grandiosa quanto o Ramadan!
      Assim como você, aprendo lá do início a cada postagem que pesquiso e escrevo, e admiro sua vontade de conhecer cada vez mais. Por causa de respostas tão positivas como a sua nestes quase 8 meses de blog, minha vontade de escrever e melhorar cada vez mais o conteúdo só aumenta...
      Todos os meu cumprimentos são para vocês!!!

      Excluir
  3. Salam, Jana Jan! A doce alma iraniana que você possui trouxe-me até aqui por uma coincidência, na verdade duas: a primeira é ver belas palavras da Cri e a outra é que fiz uma alusão entre a arqueira iraniana e uma princesa da lenda escocesa, cujo nome é Merida. (coloquei o texto no blog, espia só)
    Um beijo em seu coração,
    Bauce:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Denise jan, minha querida alma do Khaleej! Acabei de ler e comentar em seu blog!

      Bause!!!

      Excluir
  4. Puxa que legal.. que mulheres lindas!
    Admiro tanto essas atletas, principalmente estas talentosas mulheres do Irã, com garra, coragem e força de vontade!
    Realmente, são verdadeiras heroínas!

    Abraço e um beijo querida!

    http://paquistanesaocidental.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salam Ayesha, obrigada de coração pelo seu comentário!
      Tomara que o exemplo destas atletas heroínas faça com que mais pessoas abram os olhos para o talento e participação cada vez maior das mulheres nos esportes do Oriente Médio!

      Grande beijo!

      Excluir
  5. Salam Janaina !

    São as mulheres iraninas mostrando sua força e garra ! Mulheres fortes e com determinação na vida. Belas e elegantes sem fazem notar pelos méritos e não pelos atributos físicos.
    Parabens pelo post e boa sorte pra meninas iraniana !!!

    Bauce

    ResponderExcluir