HOME SOBRE DIÁRIO DE VIAGEM LÍNGUA PERSA SEU GUIA FAQ CONTATO LOJINHA

Roupas e Diversidade Étnica do Irã

Após séculos de migrações, invasões e contatos com outros povos, o Irã está longe de ser um país  homogêneo. Embora mais da metade da sua população seja composta de persas, o Irã também abriga diversos povos, como os turcos, azeri, afshari, bakhtiari, baluchis, gilakis (gilani), ghoochani, korasani, curdos, loris, mazandaranis, qashqais , shahsavan, turcomanos entre muitos outros grupos étnicos. Daí vêm uma grande variedade de roupas étnicas coloridas com estilos que variam de tribo para tribo. As vestes das mulheres são as mais vivas e marcantes em termos de estilo e cor.

 Baluchis                         
O termo baluchi significa "andarilho", um nome apropriado para esse grupo semi-nômade que percorre as regiões extremamente áridas do Sudeste do Irã e do Paquistão Ocidental. Camisas longas, calças folgadas e turbantes são o traje costumeiro para os homens. As mulheres também usam calças, com vestidos coloridos até o joelho. Este traje tradicional é usado por mulheres que normalmente têm de realizar trabalhos manuais nas aldeias, por isso o conforto e a mobilidade são essenciais. Os vestidos das mulheres muitas vezes são adornados com ricos bordados que são exclusivos desta região e não pode ser facilmente encontrados em outras partes do Irã. As mulheres baluchi também cobrem o cabelo com um lenço ou Sarig e um xale envolto sobre a cabeça. A joalheria baluchi inclui colares e pulseiras, juntamente com um broche de ouro chamado Tasni, que é usado para prender o vestido.


 Bakhtiaris                     
Os  bakhtiaris  habitam as regiões montanhosas do sudoeste do Irã, incluindo as províncias de Khuzestan e Isfahan. Embora sejam conhecidos por serem um povo majoritariamente nômade, muitos dos bakhtiaris estabeleceram-se em aldeias e cidades. As roupas bakhtiari são versáteis para proteger as pessoas de condições climáticas extremas. Os homens usam calças volumosas que fixam em torno de seus tornozelos com amplas faixas bordadas junto com  sua túnica e geralmente cobrem a cabeça com um capuz. As mulheres  usam um vestido longo e colorido e saias de várias camadas costuradas com fios brilhantes. Estas saias são combinadas com diferentes camisas, coletes e xales. Lenços longos e envoltórios para a cabeça também são comumente ornados com moedas e desenhos.

  Curdos                         
Os curdos estão espalhados em uma grande área do Oriente Médio, incluindo uma boa parte do leste da Turquia, nordeste do Iraque, em pequenos bolsões da Síria e do Irã. Apesar de serem um dos primeiros grupos da região (pelo menos desde o segundo milênio a.C), nunca tiveram o status de nação. De longe, os curdos têm a forma mais elaborada e diversificada de trajes tradicionais. Uma vez que vivem em regiões diferentes, as roupas também tendem a variar. Por exemplo, existem curdos de Sanandaj e curdos de Kermanshah. A maioria dos homens usam calças largas combinando com coletes e turbantes. As mulheres usam vestidos longos com calças e coletes. Tanto homens quanto mulheres geralmente usam cintos muito largos em volta da cintura. As mulheres curdas também gostam de usar muitas moedas e jóias costurados em seus lenços pendurados sobre a testa. O sapato tradicional curdo é chamado de klash.


 Ghashghai (Qashqhai) 
Muitos dos ghashghai permaneceram nômades ou semi-nômades, habitando principalmente a província de Fars no sudoeste do Irã. Como vários outros grupos minoritários no Irã, são de origem turca, orgulhosos e decididos sobre sua independência. Os chapéus dos homens ghashghai tem um formato redondo muito característico, geralmente feito de pêlo de ovelha marrom claro e muito maleável. As mulheres são conhecidas por suas roupas ricas e vibrantes, que inclui  saias de muitas camadas, túnicas brilhantes e lenços longos enrolados em volta do rosto. O lenço preso por um alfinete na parte inferior do queixo  é quase transparente deixando aparecer o cabelo. Além disso, muitas mulheres deixam aparecer mechas do cabelo de cada lado de suas faces. Em ocasiões especiais, elas também penduram pequenos enfeites como moedinhas sobre a testa. Durante as visitas às cidades, as mulheres andam com o chador negro, mas não sem permitir que alguns centímetros de seus vestidos coloridos apareçam por baixo.

 Ghoochani                  
Ghoochan é uma cidade famosa por ser o lugar onde Nader Shah foi morto (Tapeh Nader ou morro Nader) com verões quentes e invernos frios, a roupa nesta região tem que ser multifuncional e versátil. As saias das mulheres tendem a ser mais curtas e os sapatos tendem a ser feitos para longas caminhadas e escaladas. Os coletes e coberturas de cabeça têm cores brilhantes e padrões diversificados em todas as peças de vestuário.




 Gilaki (Gilani)               
A maioria dos Gilaki vivem ao longo do Mar Cáspio na verdejante província de Gilan, no noroeste do Irã. Sua língua é um dialeto do persa, e apesar de chergarem a mais de 2,2 milhões, os Gilaki não possuem registros escritos de sua cultura ancestral. As mulheres Gilaki normalmente vestem saias longas, com listras coloridas combinadas com camisas e coletes. Os lenços com franjas são mais luminosos e arejados do que os das mulheres de outras etnias. O traje dos homens é composto de camisa e calças tradicionais com uma faixa de algodão larga amarrada em torno da sua cintura e ocasionalmente um chapéu cilíndrico.


 Kashani                          
Kashan é uma cidade que fica na província de Isfahan e ao sul da cidade sagrada de Qom. Seu nome vem da palavra persa Kashi (azulejo). Kashan também é internacionalmente famosa pela fabricação de tapetes, seda e outros produtos têxteis. As roupas de Kashan tendem a ser claras e arejadas. O vestido Kashani para as mulheres possui uma saia longa e sólida, acompanhada de uma camisa comprida, com ornamentos e desenhos costurados à mão. Coletes de mangas compridas com grandes aberturas também são comuns e os lenços tendem a ser mais curtos. Em geral, o vestido é mais simples do que os de outras regiões do país.

 Khorasani (Kohrassan)   
Os  trajes do povo de Khorasan são tradicionalmente mais conservadores. Tanto os homens quanto as mulheres de Khorasan tendem a usar calças extra largas e as roupas tradicionais utilizam cores mais sólidas. Para os homens é comum uma camisa larga com uma gola redonda que às vezes, é combinada com um turbante. As mulheres, usam vestidos até o joelho ​​por cima das calças. Além disso, usam grandes xales  cobrindo a cabeça e o corpo, dependendo do clima e do tempo.


 Loris (Lurs)                    
Os trajes típicos de Lorestan são muito distintos e ornamentais. O vestido das mulheres Lori geralmente tem desenhos florais costurados à mão. Para cobrir os cabelos usam um grande lenço enrolado  em volta da cabeça,  ombros e  pescoço. As roupas, incluindo o colete tradicional longo, usado sobre a roupa e as calças também são distintamente decorados. O colete tem mangas mais curtas, revelando as mangas do vestido e a barra das calças também tem desenhos de listras. As mulheres geralmente usam cores mais brilhantes e femininas. Os homens tendem a usar os marrons e cinzas sóbrios não muito elaborados com casacos e coletes longos e largos e, às vezes  também usam chapéus.


  Mazandaranis              
A região Mazandaran é repleta de fazendas e se situa na área do Mar Cáspio no norte do Irã. A característica distintiva no vestido da mulher Mazandarani é a saia, que é geralmente mais rodada do que os outros trajes tradicionais . Dependendo da ocasião e da época do ano, as saias podem ser muito curtas usadas com calças por baixo. Os homens geralmente usam uma camisa de algodão simples com calças que são semelhantes à calças de caça. Muitas vezes são usados calçados, meias ou botas até a altura abaixo do joelho. Os chapéus dos nômades, feitos de pêlo de ovelha também são muito comuns entre os aldeães Mazandarani.


 Turcomanos                   
De origem turca, os turcomanos residem principalmente nas planícies de Torkman Sahra. A tribo Torkman no Irã, é proveniente principalmente da Turquia e também têm vestes diferentes e especiais. Para as mulheres, o traje é composto por um vestido longo com uma longa túnica aberta. Algumas mulheres geralmente ostentam o rosto coberto. As roupas tendem a favorecer tons terrosos, como vermelhos profundos e marrons escuros. As túnicas e as calças dos homens também consistem em cores sólidas e terrosas. Uma característica distintiva é a variedade de chapéus turcos usados ​​para protegê-los contra o frio dos invernos rigorosos.




Devido à riqueza da história e da cultura iraniana, a roupa sempre desempenhou um papel importante na definição das afiliações sociais, religiosas e de gênero de uma pessoa. Mais significativamente, ela constrói e incorpora as diferentes etnias. Infelizmente, a "globalização" tem marcado a extinção de algumas tradições iranianas, e está tentando eliminar várias outras. Com um pouco de sorte, preservar e recordar estes trajes tradicionais étnicos irá ajudar a evitar que uma parte importante do patrimônio do Irã desapareça completamente.

Adaptado do artigo escrito por Naw Diana Htoo do site IranDokht 


12 comentários

  1. As mulheres iranianas atualmente não usam mais roupas assim. Está ocorrendo uma certa ocidentalização de suas roupas. Elas usam o lenço na cabeça, porém a maioria faz questão de mostrar partes do cabelo, encima, por enquanto as pontas estão cobertas. Usam calças justas e túnicas curtas. Está muito diferente do que o governo iraniano diz ser a roupa certa de se usar. Outra coisa muito ocidental que se destaca lá, é o excesso de maquiagem. É quase impossível ver mulheres sem maquiagem. Outro detalhe é o excesso de plástica no rosto. É muito comum ver mulheres e alguns homens com ataduras no rosto, principalmente no nariz e na boca. Se o governo iraniano desobrigar a utilização do véu, certamente será difícil identificar uma iraniana pelo traje, está muito moderno, atualmente. É óbvio que não existe minissaias, na rua, porém dentro de casa, elas vestem-se mais a vontade, e não tem vergonha de expor isso inclusive em sites de relacionamento como facebook. Quem tem curiosidade, passeie nesses sites, e irá conferir tudo o que eu escrevi. Apesar da repressão, a modernidade do costume ocidental, está a cada dia mais presente por lá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu comentário. Permita me fazer uma pequena ressalva, o post fala dos trajes étnicos e as mulheres das cidades não usam mais este tipo de roupa, porém no interior do Irã estes trajes ainda são usados pelas camponesas e nômades. Enquanto nos centros urbanos a moda realmente está mais ocidentalizada beirando o exagero, no campo ainda persiste um estilo de vida mais sóbrio e tradicional. Acredito que se o governo desobrigasse o uso do véu, uma boa parte das mulheres do país ainda defenderiam seu direito de usá-lo. Acontece no século passado ocorreu o inverso, quando o Reza Shah forçou a ocidentalização do país... as mulheres já foram forçadas a tirar o véu antes, mas as mais conservadoras usavam chapéus pra esconder os cabelos. Tenho algumas amigas iranianas nas redes sociais e realmente muitas aparecem sem hejab nas fotos, mas em contrapartida algumas sequer colocam fotos por serem mais conservadoras...

      Excluir
    2. Janaina obrigada por comentar. Algumas vezes fui para lá, recentemente, e a primeira vez que fui no Teerã, eu estava vindo de um país mais conservador, e eu me senti um peixe fora d'água, porque eu não tinha visto ninguém com roupas tão "islamicas" como as que eu estava usando. Com o tempo me adaptei e vi que a ocidentalização é algo marcante por lá. Na época da monarquia secular do xá Mohamed Reza Pahlevi, a ocidentalização trouxe mudanças que dividiram a opinião pública, as imposições como por exemplo tirar o lenço, causou um grande desconforto, tanto que as mulheres foram um grande apoio na destituição do mesmo. Hoje em dia, nota-se a mesma divisão, muitas querendo a ocidentalização desses costumes, e ao mesmo tempo há as conservadoras, que não apoiam. Eu penso que nesse caso, a liberdade de escolha iria caber perfeitamente. Particularmente, eu gosto das roupas tradicionais, ao meu ver a mulher fica muito mais bonita, mas essa é uma opinião pessoal, cada qual tem seu gosto.

      Excluir
  2. Nossa é tão dificil de ver alguém no Brasil que se interesse em ler algo assim! Adoro ler sobre outras culturas e povos!
    Uma amiga minha morou no Irã durante um ano. Ela me disse que as mulheres lá são muito vaidosas. As mais jovens escondem cada vez menos o cabelo, deixando franjas a mostra. Muitas tem feito plasticas para afinar o nariz e botox.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Karen! Concordo com você, aqui no Brasil as pessoas não se interessam porque há pouca informação disponível. Ainda bem que você também é uma das interessadas!
      É verdade tudo isso que sua amiga falou, se você continuar explorando o blog vai ver que já escrevi sobre o assunto das cirurgias estéticas e das formas como as iranianas usam o hejab.
      Obrigada pela sua participação e seja muito bem vinda!

      Excluir
  3. Nossa gostei muito do seu blog! Esta de parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Karen! E eu gosto muito de ler os comentários que sempre ajudam o blog a melhorar cada vez mais!
      A casa é sua e o chá-de-lima é nosso!

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá Lara, você leu as descrições de cada imagem? São diferentes etnias que habitam o Irã, diferentes dos persas.

      Excluir
  5. bom dia dona Janaina sou leitor constante do seu blog o qual e muito interessante
    como sou tambem admirador da cultura iraniana gostaria de indicar o meu blog que fala sobre dicas de como tirar o visto para o Iran. meus parabens pelo blog mais uma vez

    ResponderExcluir
  6. Amei, ler todos comentário, estou conversando com um curdo.. Faz um tempo, disse que vem ao Brasil, para me buscar, pra casar com ele. Estou amando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga! Fico muito feliz que você tenha gostado do post! Quanto tempo você conversa com este rapaz? De que cidade ele é?
      Recomendo que primeiro você aprenda muito sobre a cultura, porque os curdos são muito tradicionais.
      No mais boa sorte!

      Excluir